Petróleo

Brasil decide no primeiro semestre sobre perfuração da Bacia do Rio Amazonas

A agência ambiental do Brasil, Ibama, decidirá sobre a aplicação da empresa francesa de petróleo Total para perfurar a bacia do rio Amazonas sensível ao meio ambiente antes do final de maio e, possivelmente, no final de março, informou um funcionário da agência na Reuters na quarta-feira.

O Ibama, em agosto passado, ordenou que a Total fornecesse informações faltantes de sua aplicação para uma licença ambiental para explorar o petróleo na bacia de Foz do Amazonas, alertando que era a última chance da empresa petrolífera fornecer os detalhes necessários antes da demolição da aplicação.

A agência recebeu a resposta de Total no final de janeiro e tem quatro meses para avaliar o novo relatório e emitir uma decisão, afirmou Antonio Celso Junqueira Borges, coordenador geral de licenciamento de petróleo e gás.

Mas o Ibama poderia governar mais rapidamente, disse Borges.

“Total arquivou seu complemento aos seus estudos no final de janeiro, está em análise”, disse ele.

“(A linha de tempo para terminar a análise) é o final de março, mas pode ser adiada um pouco mais do que isso”.

Ele se recusou a comentar sobre as chances de o aplicativo explorar para ser aprovado.

“Todos os blocos oferecidos na 11ª rodada estão em áreas ambientalmente sensíveis. Em muitas regiões, a modelagem indica que, se houvesse um derramamento de óleo, chegaria à costa “, disse Borges.

“Além disso, é uma região sensível, há muitos pescadores e uma grande biodiversidade, por isso exige maior controle e cuidado”, disse ele.

Funcionários do Ibama disseram que as áreas de pré-sal em leilões recentes, que se pensava que continham grandes quantidades de petróleo, provavelmente não enfrentariam o mesmo problema devido à sua maior distância da costa.

A análise da aplicação de Total em Foz do Amazonas, uma vez completa, deve passar por uma série de aprovações com a decisão final a ser emitida pelo presidente do Ibama.

Total não respondeu ao pedido de comentário.

A empresa, líder de um grupo de parceiros, incluindo a BP Plc e a Petroleo Brasileiro SA, ganhou cinco blocos no 11º leilão brasileiro de blocos de petróleo em 2013. Como o operador, a Total é responsável pela aplicação de licenças ambientais.

O total é o mais distante no processo de inscrição para os blocos de bacia Foz do Amazonas premiados em 2013, com a BP e a Exploração e Produção de Queiroz Galvão (QGEP) em etapas iniciais de candidatura a licenças com o Ibama para blocos separados que ganharam na região, de acordo com a agência.

Voltar ao Topo
Site Protection is enabled by using WP Site Protector from Exattosoft.com