Offshore

Chevron nomeia chefe do Brasil para liderar operações na Venezuela após prisões

A petrolífera norte-americana Chevron Corp designou permanentemente seu chefe de Estado no Brasil para dirigir suas operações venezuelanas depois que os meses de detenção de dois executivos aumentaram as tensões entre o país membro da Opep e as empresas petrolíferas estrangeiras. 

Javier La Rosa, que havia sido presidente da Chevron Brasil desde 2016, este mês foi nomeado presidente da Chevron Venezuela, confirmou a empresa na sexta-feira. Ele substituiu o gerente geral da empresa na Venezuela, Christopher Whatley.

La Rosa ingressou na Chevron em 2000 e liderou as operações da Venezuela para a empresa de 2005 a 2008, disse sua página no LinkedIn. Ele voou para Caracas logo depois que funcionários da Chevron foram detidos para liderar temporariamente a unidade da Venezuela, segundo duas outras pessoas familiarizadas com o assunto. 

A nomeação de La Rosa ocorre após um tenso confronto entre empresas petrolíferas estrangeiras e o governo nos últimos meses, à medida que o colapso político e econômico da Venezuela se agravou. 

Autoridades venezuelanas divulgaram nesta semana os dois executivos presos desde abril como parte de uma investigação sobre o setor petrolífero, que tem assustado outras companhias estrangeiras que operam em parceria com a petrolífera estatal PDVSA.

As prisões, relacionadas à recusa dos executivos em assinar um contrato de fornecimento de peças de forno para uma joint venture da PDVSA, foram tornadas públicas depois que algumas empresas de serviços de petróleo se retiraram da Venezuela, cancelando bilhões de dólares em ativos. 

La Rosa está deixando o Brasil assim que a Chevron começa a se fortalecer na maior produtora de petróleo bruto da América Latina. Em um consórcio com a Petrobras e a Royal Dutch Shell Plc, a Chevron conquistou seu primeiro bloco no cobiçado petróleo offshore do Brasil, na quinta-feira. 

Não ficou claro de imediato quem comandará as operações da Chevron no Brasil. 

Reuters informou em dezembro que a Chevron estava em negociações com a empresa de serviços petrolíferos SchlumbergerA NV retomará a perfuração em um campo offshore depois que um vazamento de petróleo de 2011 cortou a produção. 

A Chevron, a sétima maior produtora mundial de petróleo, com receita de US $ 135 bilhões em 2017, opera na Venezuela principalmente através de participações minoritárias em cinco projetos. Seus ganhos da Venezuela caíram 18% no ano passado, para US $ 329 milhões, segundo documentos oficiais.

Voltar ao Topo
Site Protection is enabled by using WP Site Protector from Exattosoft.com