Obras e Paradas

Com duração de 14 meses, duplicação de trecho da BR 101 vai gerar 1000 empregos

Com obras de duplicação em andamento nos municípios de João Neiva, Ibiraçu e Iconha e um trecho já entregue em Anchieta, a ampliação da BR101/ES entra em uma nova fase. A partir da obtenção da licença ambiental e seus complementos, liberada pelo Ibama no dia 18 de abril, a Eco101 concentrará esforços na duplicação do trecho sul da rodovia.

Nos primeiros 30 quilômetros deste trecho, entre Viana e Guarapari, serão investidos mais de R$ 115 milhões na ampliação da rodovia. Esse total está dentro dos R$ 310 milhões anunciados pela concessionária no final do ano passado para 2018.

Maquete mostra como será a BR 101, no trecho entre Guarapari e Viana, após a duplicação. Foto: Divulgação.

Empregos. Além da modernização da rodovia, o que resulta em mais conforto e segurança aos usuários da BR101/ES, os investimentos para este trecho também terão impacto no mercado de trabalho. Apenas nesta obra, a geração local de empregos deve chegar a 500 diretos e outros 500 indiretos. A expectativa de duração das obras neste trecho é de 14 meses.

De acordo com o gerente de engenharia responsável pela obra, Rodrigo Cosentino, após a conclusão das obras de duplicação, todo o trecho contará com duas faixas para cada sentido, separadas por canteiro central ou barreira de segurança de concreto. Cosentino explica que a duplicação ocorrerá a partir do trevo com a BR 262, próximo ao posto da Polícia Rodoviária Federal (PRF).

Com a duplicação deste trecho, detalha Cosentino, a concessionária construirá três novas interseções. A primeira delas será próxima ao posto da PRF em Viana, local que faz a interseção entre as duas principais rodovias que cortam o Espírito Santo, a BR 262 e a BR 101. Com a nova interseção em desnível, os veículos não precisarão mais parar para seguir viagem no sentido Vitória, Guarapari ou Belo Horizonte. Outro viaduto será construído no distrito de Amarelos, próximo a rodovia ES-388, e o terceiro deste trecho será em Guarapari, na principal entrada da cidade pela BR 101”, detalha.

Investimentos. Desde o início da concessão, sem contabilizar os investimentos previstos para 2018, foram investidos R$ 940 milhões na BR-101/ES. Esses recursos garantiram a recuperação inicial da rodovia e eliminação de desníveis nos acostamentos, a construção de instalações operacionais, avanços nas duplicações de quatro segmentos mais contorno de Iconha, a construção de vias locais, passarelas, a recuperação de estruturas, equipamentos e sistemas e os serviços aos usuários.

Levando em consideração os investimentos previstos para 2018, já garantidos pela concessionária, o investimento total da Eco101 na BR 101/ES, atinge R$ 1,250 bilhão.

Duplicações:

João Neiva
Com 78% das obras de duplicação do trecho de João Neiva concluídos, a Eco101 trabalha na construção de uma interseção em desnível no cruzamento existente na comunidade de Caboclo Bernardo, no km 206. A intervenção irá possibilitar aos motoristas o cruzamento da pista ou retorno na rodovia de forma mais segura e independente da via principal. Para implantação desta obra, foi necessário realizar um desvio no tráfego para a construção de dois novos viadutos na pista principal.

Ibiraçu
No segmento de Ibiraçu, 62% das obras já foram realizadas e, em conjunto com a obra de duplicação, está sendo construída uma retificação de traçado na pista existente entre os kms 218 e 219 no trecho da curva do Mosteiro. A correção de traçado é necessária para suavizar e adequar curvas muito fechadas, compatibilizando com a velocidade da via. Como a BR101 foi construída entre as décadas de 1950 e 1970, o projeto original foi desenvolvido para o tipo de veículo que trafegava na rodovia naquele tempo, por isso a necessidade desta correção.

Iconha
O Contorno de Iconha já está com 80% das obras concluídas. O contorno, que dará mais fluidez ao tráfego e mais segurança aos usuários, vai reduzir a travessia desse trecho de uma hora para até seis minutos. A nova via terá cerca de 7,8 quilômetros de extensão no total – considerando os encaixes com as interseções – com duas faixas para cada sentido, separadas por canteiro central ou barreira de concreto.

Atualmente, quem passa neste trecho tem de atravessar a área urbana da cidade, o que causa congestionamentos de tráfego. De acordo com o gerente de Engenharia, Rodrigo Cosentino, a região é conhecida como o maior gargalo para o transporte de cargas no Sul do Estado. “A ideia é separar o tráfego de longa distância e de carga do trânsito urbano, proporcionando maior segurança para os usuários e também moradores da região”, explica.

Atualmente, estão sendo implantadas duas novas interseções em desnível nos extremos norte e sul do contorno. O objetivo destes dispositivos é possibilitar ao motorista tanto utilizar a nova via pelo contorno quanto acessar o perímetro urbano de Iconha de forma segura. Além desses viadutos, ao longo do traçado estão em construção duas pontes de aproximadamente 40 metros sobre o rio Iconha.

 

Voltar ao Topo