Construção Civil

Começam obras de duplicação da Rodovia Mogi-Dutra que vão gerar 500 empregos

Mais de três anos após terem sido anunciadas, começaram nesta quinta-feira (14) as obras de duplicação da Rodovia Mogi-Dutra, no trecho entre a Rodovia Ayrton Senna e a Rodovia Presidente Dutra, que liga Arujá e Mogi das Cruzes. O governador Geraldo Alckmin esteve na rodovia durante a manhã desta quinta para a assinatura do contrato e para acompanhar o início dos trabalhos, que devem se estender por 24 meses.

A Rodovia Mogi-Dutra, a SP-088, passará por obras em um trecho de 7,45 quilômetros de extensão. Os serviços serão feitos entre os quilômetros 32 e 39,45, no entrocamento com a Rodovia Alberto Hinoto, perto da Rodovia Presidente Dutra.

De acordo com o governador, o objetivo principal do trabalho é reduzir acidentes. “O primeiro item, é reduzir acidentes, porque os choques frontais, né, um carro bater de frente com o outro, são sempre os mais fatais. Porque você dobra a velocidade. Então quando você duplica, separa as pistas, você reduz muito os acidentes e principalmente acidente com morte.”

De acordo com o governo do Estado, o Departamento de Estradas de Rodagem (DER) também construirá dois viadutos para acesso, no km 32,34 e no km 32,90, além de implantar quatro passarelas, nos km 33,54, km 35,23, km 37,97 e km 38,81. Além disso, será retificada a geometria de uma curva acentuada no km 36 e a sinalização será revitalizada.

As obras serão executadas pelo Consórcio Construcap/Copasa, que venceu a licitação. O contrato tem valor total de R$ 121,9 milhões.

“Vai gerar 175 empregos diretos e 350 indiretos. Então são mais de 500 empregos gerados na obra e você movimenta restaurante, posto de gasolina, hotel, loja, material de construção. Você aquece a economia da região. Para os dois prefeitos vai pingar o ISS, então já estão fazendo as contas do quanto vão receber. Dá uma melhorada na arrecadação”, detalhou o governador.

Ainda segundo o governo do Estado, o objetivo é que o consórcio priorize contratar mão de obra da região. “Nós lançamos um movimento, que chamamos de pacto pelo emprego local. Nós encaminhamos ofícios às prefeituras de Mogi das Cruzes, Itaquaquecetuba, Santa Isabel, Suzano, Poá, Ferraz de Vasconcelos e Arujá. Todas essas prefeituras receberam ofícios sendo convidadas a nos ajudar a captar mão de obra local. Todas elas manifestaram interesse e as prefeituras de Suzano, Santa Isabel e Itaquaquecetuba, inclusive, já nos indicaram os contatos municipais que serão responsáveis por isso.”

Segundo governador, objetivo principal da duplicação da Rodovia Presidente Dutra é reduzir acidentes (Foto: Maiara Barbosa/G1)

Segundo governador, objetivo principal da duplicação da Rodovia Presidente Dutra é reduzir acidentes 

Interdições

Para aumentar a segurança, durante as obras a velocidade no trecho será reduzida de 80 km/h para 60 km/h, segundo o secretário estadual de Logística e Transportes, Laurence Casagrande.

Os motoristas vão sentir os impactos da obra, mas o objetivo é minimizá-los, de acordo com Casagrande. “As obras ocorrerão nos próximos dois anos. O cronograma de obras ele vai prever intervenções intercaladas ao longo da rodovia porque essa é uma rodovia de grande tráfego. Então ela não vai ser uma obra linear, que segue avanço linear. Você vai ter intervenções em vários pontos de forma com que você tenha algum tipo de estrangulamento, uma faixa de acomodação, outro estrangulamento, outra faixa de acomodação de tráfego, de forma a reduzir o transtorno para quem passa. Por isso que a obra vai ser feita em dois anos. É uma obra de sete quilômetros e meio, mas não vai ser feita em um prazo maior para que a gente não tenha tanto transtorno ao usuário da rodovia.”

As intervenções vão depender de vários fatores, como os climáticos. “A responsabilidade é que o consórcio construtor comunique com antecedência a imprensa, mantenha os meios de comunicação informados e adotem medidas de previsibilidade, que as interdições aconteçam sempre mais ou menos no mesmo horário, de forma que as pessoas planejem suas viagens para que elas sofram o mínimo possível”, diz o secretário.

“Nós teremos desvios, redução de velocidade e nós pedimos a todos vocês muita atenção e que obedeçam fielmente a sinalização durante o período de obras para que a gente possa ter o mínimo de acidente possível. Teremos algum grau de transtorno nesse período, mas no final teremos uma rodovia nova, extremamente qualificada, moderna e muito segura”, continua.

Acesso ao Taboão

Segundo Casagrande, são feitos estudos para melhorias do acesso à Estrada do Taboão, para que comporte carretas. “Esse acesso já havia sido pleiteado como um acesso direto à Rodovia Ayrton Senna. Mas a Rodovia Ayrton Senna é uma rodovia classe 0. Você não pode ter acesso a distrito industrial, a bairro. Ou seja, você tem acesso aos cruzamentos com outras rodovias e não a esse tipo de acesso. Se não, você desclassificaria a rodovia da classe que ela tem, o que se torna inviável. Então, não foi possível fazer pela Ayrton Senna. Agora há um segundo pedido, esse pedido é posterior à execução do projeto que foi feita a licitação e posterior às audiências públicas que foram feitas na região. Não foi trazido isso nem nas audiências públicas.

Obras para duplicação da Rodovia Mogi-Dutra começaram nesta quinta-feira, 14 (Foto: Maiara Barbosa/G1)

Obras para duplicação da Rodovia Mogi-Dutra começaram nesta quinta-feira, 14 (Foto: Maiara Barbosa/G1)

Vai e vem de licitações

A duplicação da Rodovia Mogi-Dutra foi anunciada pela primeira vez em abril de 2014 e, na época, o investimento seria de R$ 149 milhões.A licitação chegou a ser aberta com previsão de obras para junho do mesmo ano, mas em novembro de 2015 o edital foi revogado pelo DER para atualização de valores.

Em agosto de 2016, em visita a Mogi das Cruzes, o governador Geraldo Alckmin anunciou nova licitação. Já em janeiro de 2017, o edital foi reaberto depois da publicação no Diário Oficial, mas chegou a ser suspenso por determinação do Tribunal de Constas do Estado.

A publicação do consórcio vencedor foi em 1º de dezembro.

Obras

A rodovia recebe diariamente, em média, 15.191 veículo. De acordo com o Departamento de Estradas de Rodagem (DER), as obras têm o objetivo de beneficiar mais de 520 mil moradores da região no deslocamento diário e vai facilitar o acesso aos polos universitário e industrial, além do tráfego de veículos pesados, já que a região é conhecida pela extração de areia e pedra e também pela produção de hortaliças, flores e frutas.

O processo licitatório foi conduzido pelo DER e feito na modalidade pública internacional. Segundo o DER, o valor ficou 32,6% menor que o custo estimado no edital, que era de R$ 181 milhões. A obra será financiada pelo Banco Mundial – Banco Internacional para Reconstrução e Desenvolvimento (BIRD). ( Fonte )

Voltar ao Topo
Site Protection is enabled by using WP Site Protector from Exattosoft.com