Empregos

Descubra o que fazer para trabalhar embarcado sem experiência

Se você tem pesquisado vagas de emprego em empresas do setor de petróleo e gás, sobretudo em funções para trabalhar embarcado, já deve ter notado que a maioria tem como requisito experiência nesse tipo de atividade.
Mas todo mundo que tem experiência em trabalho offshore começou sem experiência, não é mesmo? E como fazer para ingressar nesse mercado tão competitivo?

No artigo Veja como fazer para trabalhar embarcado sem experiência, que publicamos aqui no portal O Petróleo, respondemos essa questão apresentando algumas das ações que aumentam suas chances de ser contratado. Vale a pena conferir caso ainda não tenha lido!

Para complementar o assunto, neste artigo realizamos uma entrevista exclusiva dada por um engenheiro que atua em uma das grandes multinacionais da indústria offshore para ter a visão que quem está do lado de dentro.

Marcos Lourenço, 60 anos, é engenheiro operacional petroquímico. Atualmente é Supervisão de Operações II e responde pela empresa em que trabalha junto à Petrobrás no Barco de Estimulação. Ele supervisiona todo o funcionamento das atividades da equipe, operações e planta de estimulação em uma escala de embarque de 14 x 14.

Navios ou Barcos de Estimulação são embarcações dotadas de uma planta operacional própria para trabalhos que maximizem a produtividade de um poço de petróleo. Basicamente, a potência de tais embarcações para armazenar, misturar e bombear produtos químicos é usada para injetar hidrocarbonetos próximo à área de drenagem do poço, estimulando-o.

O Petróleo: Como você conseguiu seu primeiro emprego, quando ainda não tinha experiência em trabalhar embarcado?

Marcos Lourenço: Existem empresas que buscam empregados junto a universidades e escolas técnicas. No meu caso foi respondendo a um anúncio de jornal publicado em São Paulo, longe, portanto, das áreas de exploração que estão concentradas em Macaé (RJ), São Mateus (ES), Catú (BA), Aracajú (SE) e Mossoró (RN), além de áreas na selva amazônica. Isso foi há muito tempo, porém ainda existem casos assim!
Uma vez contratados, essas empresas fornecem todo o treinamento necessário para o desenvolvimento das atividades.

O Petróleo: O que é preciso para conseguir uma posição sem ter experiência na área?

Marcos Lourenço: Para trabalhar embarcado em qualquer empresa que atua junto à Petrobras, são necessários requisitos e treinamentos específicos tais como:
⦁ Segundo grau completo para qualquer atividade;
⦁ Treinamentos básicos de segurança, como o Curso de Alpinismo Industrial (IRATA), o Treinamento de Escape de Aeronave Submersa (HUET) e o Curso de Primeiros Socorros Offshore;
⦁ Treinamento em Salvatagem – Curso Básico de Segurança de Plataforma (CBSP) – que fornece noções sobre situações de emergência com helicópteros e sobrevivência no mar;
⦁ Bom nível de conhecimentos no idioma inglês.

O Petróleo: O que você poderia nos dizer sobre o perfil e a faixa etária da maioria dos funcionários que foram contratados sem ter experiência?

Marcos Lourenço: Muitas das pessoas que trabalham nessas atividades foram contratados por morarem ou se deslocarem para os locais de exploração acima citados, ou foram indicados por colaboradores que já estavam na atividade.
Sobre a faixa etária, acredito que a maioria dos colaboradores contratados sem experiência costuma ser dos 20 aos 40 anos de idade.

O Petróleo: Atualmente, há alguém na sua equipe que começou a trabalhar nessa área há menos de 1 ano?

Marcos Lourenço: Não. O colaborador mais recente está há mais de três anos na atividade.

O Petróleo: No que você tem percebido ao longo dos anos, existem profissões e cargos que tornam mais fácil conseguir o emprego mesmo sem ter experiência?

Marcos Lourenço: Sim. Enfermeiros, técnicos de óleo e gás, cozinheiros, técnicos em laboratório, taifeiros, dentre outros. Existem chances de subir na carreira quando já entrou em uma empresa do ramo, pois além de ganhar experiência em trabalhar embarcado é possível fazer contatos.

O Petróleo: Além da formação profissional através de cursos e treinamentos, que aspectos você considera serem fundamentais a pessoa desenvolver para trabalhar embarcado?

Marcos Lourenço: Acredito que as habilidades que fazem mais diferença é a atualização pessoal e profissional constante e estar pronto para as mudanças.

O Petróleo: A partir da sua experiência e da convivência com colegas, quais os maiores desafios para quem está começando uma carreira offshore?

Marcos Lourenço: O mais difícil é a adaptação em regime de confinamento.

O Petróleo: Que dicas você daria para alguém que quer iniciar nessa carreira?

Marcos Lourenço: Hoje existem mais de 120 mil colaboradores que perderam o posto de trabalho junto ao sistema da Petrobrás. Para conseguir a tão sonhada vaga, se faz necessário uma boa formação acadêmica com especializações, de preferência no setor de óleo e gás, e buscar o maior número de contatos.
Existe uma tendência de empresas além da Petrobrás que estão aumentando a participação no mercado de exploração de petróleo no Brasil e constantemente estão abrindo novas vagas de trabalho.
Lembrando que se faz necessário um bom nível de conhecimento de inglês para atuar junto a essas empresas, a maioria são companhias estrangeiras e multinacionais.

Voltar ao Topo
Site Protection is enabled by using WP Site Protector from Exattosoft.com