Energia

Empresas chinesas vão investir mais de 500 bilhões de dólares no mercado de energia

As empresas chinesas estão se estruturando para  participar do gigantesco mercado da indústria de energia nuclear ainda não explorado ou mau explorado em pelo menos 72 países.   Um mercado que, estimam, de 580 bilhões de dólares. O presidente da China National Nuclear Corp (CNNC), Wang Shoujun, disse que “ 72 países têm estado ou estão planejando desenvolver energia nuclear. A maioria deles ainda estão nos estágios iniciais de desenvolvimento de energia nuclear. Estimamos que se a sua energia nuclear foram levantadas para alcançar níveis de desenvolvimento comparáveis aos dos EUA ou do Japão, geraria um mercado gigantesco.”

A Iniciativa identificada pelos chineses como  Belt and Road ( cinturão e estrada),  foi proposta pelo presidente chinês Xi Jinping em 2013, visando construir uma rede de comércio e infraestrutura conectando a Ásia com a Europa e a África ao longo de antigas rotas comerciais, num esforço sem precedentes que unirá até 65 países. A medida que a demanda interna de eletricidade cresce na China e o país acelera sua mudança para as energias renováveis, a energia nuclear será um dos projetos de maior prioridade. A China atualmente opera 36 reatores nucleares, e está em processo de construção de 20 novos.  Até o final de 2020, a China pretende ter 58 milhões de quilowatts de capacidade de energia nuclear em operação e mais de 30 milhões de kW em construção, ocupando o segundo lugar no mundo por número de unidades instaladas.

Quando se trata de tecnologias caseiras, a China está se juntando para ocupar uma posição de liderança no mundo. O reator de água pressurizada Hualong One, fabricado pela China First Heavy Machinery, completou seus testes de pressão hidráulica em 8 de abril. Este marco mostra que a China tem dominado o projeto independente e fabricação de terceira geração de instalações de energia nuclear. Em 5 de janeiro de 2017, a State Power Investment Corp. (SPIC), um dos cinco maiores geradores de energia da China, lançou a plataforma NuPAC, um sistema de instrumentação e controle digital para usinas nucleares, com direitos de propriedade intelectual independentes. A plataforma obteve a aprovação da US Nuclear Regulatory Commission, dando acesso  aos mercados americano e europeu.

Voltar ao Topo