Portos

Estivadores de Santos apoiam caminhoneiros e anunciam paralisação

Estivadores e operadores portuários de Santos vão aderir ao protesto dos caminhoneiros, que começou na última segunda-feira (21/5), e prometem paralisar as atividades no porto nos próximos dias. A informação é do presidente do sindicato dos estivadores, Rodnei Oliveira da Silva, que participou de um ato em solidariedade à manifestação dos transportadores na manhã desta quarta-feira (23/5).

Na tarde de terça, em outro encontro com caminhoneiros, o líder sindical destacou que sempre contou com apoio dos motoristas nas campanhas reivindicatórias dos estivadores e operadores do porto e, por isso, os transportadores rodoviários poderiam contar com o apoio dos estivadores do terminal nessa manifestação de agora.O representante dos estivadores ainda afirmou que os caminhoneiros sairão vitoriosos da greve.

Fontes ligadas ao porto afirmaram que a paralisação dos caminhoneiros nos últimos dias já tem afetado as operações no terminal. Equipamentos que carregam contêineres no embarque dos navios estariam sem combustível. Também há problemas com a chegada de comida para os trabalhadores marítimos.

O Porto de Santos é o maior da América Latina, principal porta de saída e entrada de produtos agropecuários, como matérias-primas para fertilizantes, soja, farelo, milho e açúcar, além de produtos como minério entre outros.

A Associação Nacional dos Exportadores de Cereais (Anec) recomendou aos seus associados  que comuniquem aos clientes (importadores) a possibilidade de atrasos nos embarques nos próximos dias. “Caso a situação não seja rapidamente resolvida, recomendamos fortemente aos nossos associados para que informem suas contrapartes acerca de possíveis atrasos nos embarques programados para os próximos dias, em razão da falta de carga nos terminais portuários”, diz a entidade no comunicado assinado pelo diretor-geral da Anec, Sérgio Mendes.

Voltar ao Topo