Petróleo

Hengli da China compra petróleo brasileiro antes do início da refinaria

 O grupo químico chinês Hengli Group comprou sua primeira carga de petróleo do Brasil antes do início de uma nova refinaria no quarto trimestre, disseram duas fontes com conhecimento do assunto. Quarta-feira.

A refinaria de 400 mil barris por dia (bpd) na cidade portuária de Dalian, no nordeste do país, será uma das cinco maiores refinarias da China e uma grande compradora de petróleo bruto. A usina está configurada para processar tipos brutos médios e pesados ​​da Arábia Saudita, bem como do petróleo brasileiro.

Para se preparar para os testes na fábrica, prevista para outubro, a empresa comprou 1 milhão de barris de petróleo bruto Marlim da Petrobras, que chegou à China no final de maio, disse uma das fontes.

Ambas as fontes se recusaram a ser identificadas, pois não estavam autorizadas a falar com a mídia. A empresa privada Hengli disse que não faz comentários sobre negócios à vista.

A Reuters informou no mês passado que a Hengli receberia seu primeiro petróleo saudita, 2 milhões de barris de Arab Medium, em julho, com planos de levantar petróleo pesado árabe mais tarde.

O Ministério do Comércio autorizou recentemente Hengli a importar 5 milhões de toneladas (36,5 milhões de barris) de petróleo este ano, disse uma das fontes. O ministério se recusou a comentar.

Terça-feira também marcou a abertura oficial do escritório de joint-venture de Hengli com a estatal chinesa Sinochem Corp [SASADA.UL] em Cingapura.

A Hengli OilChem, controlada em 80 por cento pela Hengli e 20 por cento pela Sinochem, comprará petróleo bruto, venderá produtos e produtos petroquímicos e realizará negócios de terceiros, informou a companhia.

Voltar ao Topo