Mineração

Mineradora Canadense recebe licenças para iniciar a construção do projeto no Brasil

A mineradora canadense Anfield Gold, divulgou nesta segunda – feira (14), que recebeu as principais permissões necessárias para iniciar a construção do Projeto Coringa, próximo ao município de Novo Progresso (PA).

Segundo a mineradora recebeu a licença de exploração experimental, licença de supressão da vegetação e captura de fauna emitida pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade ( SEMAS). Curtir 341 Compartilhar  18/08/2017 Mineradora Anfield Gold recebe licenças para iniciar a construção do projeto de ouro Coringa.

As licenças emitidas pela Semas contêm uma série de condições para a conservação e proteção da fauna e da flora. “Além disso, a companhia é obrigada a cumprir os requisitos de armazenamento de combustível; gestão de resíduos e rejeitos; transporte, armazenamento e uso de explosivos; drenagem superficial da água; arqueologia; e programas de segurança e saúde dos trabalhadores”, informou a mineradora.

Ainda segundo a mineradora, é obrigada a apresentar relatórios periódicos sobre desempenho operacional, ambiental e social. Essas condições e requisitos serão atendidos como parte das operações normais do curso, relatou a mineradora.

A canadense Anfield Gold esclareceu que o próximo passo no processo de licenciamento é a emissão de guias de utilização pelo Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM), que autorizará a companhia a comercializar a produção do projeto Coringa. A Anfield declara que a aprovação do DNPM será recebida dentro do cronograma de construção do empreendimento, que era parte do portfólio da Magellan Minerals, adquirida pela Anfield em 2016.

A guia de utilização autoriza o processamento de até 50.000 toneladas de minério de ouro por ano no projeto. De acordo com os regulamentos aplicáveis, uma vez que a mina está em operação, a companhia pode solicitar o DNPM para aumentar o limite de processamento. Os pedidos para as licenças necessárias de armazenamento de água e rejeitos estão quase concluídos, diz a mineradora.

Estão em curso também discussões sobre acordos de acesso à terra a longo prazo com o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra). A Anfield planeja enviar o Estudo de Impacto Ambiental (EIA) antes do final de 2017 “A submissão do EIA iniciará o processo para obtenção da licença de operação necessária para que a Coringa opere na sua capacidade planejada de cerca de 460 toneladas de minério por dia”, afirma a mineradora. A Companhia diz que precisa de 12 meses para completar a construção da usina de processamento, mina e instalações auxiliares.

VEJA TAMBÉM

Complexo de mineração anuncia 4,5 mil vagas de emprego; saiba mais

Voltar ao Topo
Site Protection is enabled by using WP Site Protector from Exattosoft.com