Obras e Paradas

Petrobras planeja construir uma refinaria no Rio de Janeiro

A petrolífera brasileira Petróleo Brasileiro SA manteve negociações “positivas” com potencial parceiro para a construção de uma nova unidade de refinação no estado do Rio de Janeiro, disse o presidente-executivo da empresa, Pedro Parente, em Quarta-feira.

Parente disse a repórteres durante uma reunião no Rio que a Petrobras, como a empresa é conhecida, espera escolher o parceiro para o projeto em cerca de três meses. Será a primeira vez que a empresa trabalhará com um investidor em um complexo de refinação no Brasil.

(Reportagem de Marta Nogueira e Rodrigo Viga Gaier, escrita por Marcelo Teixeira e Tom Brown)

A petrolífera brasileira, Petróleo Brasileiro SA, afirmou na terça-feira que começou a tomar medidas para vender sua refinaria em Pasadena, Texas, uma instalação ensombrada no maior escândalo de corrupção do Brasil. A Petrobras, como a empresa é conhecida, disse que sua subsidiária americana, a Petrobras America Inc, logo abrirá uma fase não vinculativa para que as empresas interessadas se comunicassem com vontade de participar de negociações para a unidade de processamento de 110.000 barris por dia.

A refinaria de Pasadena tem sido alvo de várias investigações no Brasil, com promotores e membros de um tribunal de auditoria suspeitando de suborno foram pagos aos executivos da Petrobras como resultado da compra da instalação em 2006. A empresa petrolífera brasileira pagou US $ 360 milhões pela metade a refinaria de Pasadena nesse ano, mais de oito vezes o que seu anterior proprietário, a Astra Oil, uma unidade da controlada belga Astra Transcor Energy, pagou o complexo um ano antes. Até 2012, a Petrobras tinha arrecadado US $ 1,18 bilhão, incluindo o custo de comprar a metade restante da Astra após uma disputa legal entre as empresas.

A compra da refinaria foi um dos objetivos dos promotores por trás da chamada investigação de lavagem de carro centrada na companhia de petróleo controlada pelo estado, que perdeu bilhões de dólares em decorrência da corrupção generalizada em dezenas de contratos. A atual administração da Petrobras disse que a empresa foi vítima em todos os casos de corrupção. Procuradores federais do Brasil apresentaram acusações de corrupção e lavagem de dinheiro em dezembro passado, contra 11 pessoas relacionadas ao acordo da Pasadena. O tribunal de auditoria brasileiro TCU disse que o acordo causou perdas de mais de US $ 580 milhões para a empresa.

A companhia petrolífera brasileira disse na terça-feira que também venderá as outras empresas ligadas ao complexo de refinação: PRSI Trading LLC e PRSI Real Property Holdings LLC.

Voltar ao Topo