Óleo e Gás

Projetos inovadores para a indústria de óleo e gás terão R$ 2,5 milhões da Shell Brasil

Projetos inovadores destinados à área de óleo e gás, idealizados por startups, micro e pequenas empresas (MPE) e microempreendedores individuais (MEI), têm a oportunidade de receber financiamento da Shell Brasil e do Edital de Inovação para a Indústria. Estão abertas as inscrições para a chamada que vai investir até R$ 2,5 milhões em propostas destinadas ao monitoramento, controle em tempo real e análise dos chamados Big Data das operações em campos de petróleo. As inscrições podem ser feitas no site do Edital.

Serão selecionados até três projetos tecnológicos, em fase inicial, que vão receber até R$ 830 mil. As ideias serão desenvolvidas para atingir o estágio de prova de conceito, durante 12 meses, na rede de Institutos SENAI de Inovação. Ao final desse prazo, a Shell vai definir se incluirá esses projetos no seu portfólio de tecnologia para desenvolvimento futuro. As empresas não precisam ser, necessariamente, da área de óleo e gás, mas devem apresentar competências que as permitam desenvolver, em conjunto com a Shell, soluções para o setor.

O Edital de Inovação para a Indústria é uma iniciativa do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI), do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e do Serviço Social da Indústria (SESI). Esta chamada, na categoria Empreendedorismo Industrial – Inovação na Cadeia de Valor, vai integrar o Shell Startup Challenge Brasil, programa que busca selecionar startups, micro e pequenas empresas a fim de promover o crescimento das companhias baseadas em tecnologia e desenvolver provas de conceito orientadas aos desafios da digitalização do setor.

O objetivo desta chamada é escolher projetos de empresas que apresentem soluções inovadoras em sistemas seguros de monitoramento, controle, diagnóstico e prognóstico das operações de campo. Os projetos poderão, por exemplo, captar informações brutas dos sistemas supervisórios de controle e aquisição de dados das plataformas de petróleo; monitorar e prover análises automáticas para a tomada de decisões em plataformas e sistemas submarinos, assim como nas operações de perfuração de poços de petróleo e completação – processo destinado a deixar um poço pronto para a produção.

ESPECIALISTAS GLOBAIS – A diretora técnica do Sebrae, Heloisa Menezes, explica que as propostas inscritas passarão por uma primeira fase de seleção, da qual serão escolhidas 20 startups, MEI, micro ou pequenas empresas que receberão treinamento da instituição para que passem pela etapa final. No dia 21 de junho, no Rio de Janeiro, os selecionados terão a oportunidade de defender presencialmente seu projeto, durante cinco minutos, em inglês, a uma banca formada por especialistas globais da Shell e dos Institutos SENAI de Inovação.

Representantes da Shell Brasil, do SENAI e do Sebrae também farão um roadshow, em março, para apresentar detalhes da chamada e tirar dúvidas dos interessados, em parques tecnológicos dos seguintes estados: Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais, Bahia, Pernambuco e Santa Catarina. O cronograma com as datas das visitas já está disponível na página oficial do Edital de Inovação.

“Estamos muito felizes em trazer para o Brasil este desafio, que é derivado do programa global Shell GameChanger, que já avaliou mais de 1.700 startups de todo o mundo ao longo de 22 anos, com mais de 100 ideias aproveitadas em nossos projetos. Queremos fazer parte da história de sucesso destas startups,” afirma o presidente da Shell Brasil, André Araujo.

EMPREENDEDORISMO – A chamada da Shell é a sétima da categoria C do Edital de Inovação, que busca conectar indústrias de médio e grande portes a startups de base tecnológica, MEI, micro e pequenas empresas. Neste ano, seis companhias já lançaram desafios em temas como cidades inteligentes, internet das coisas, segurança cibernética e tecnologias digitais para o setor automotivo.

Foram escolhidos, até agora, 22 projetos. A empresa Whirlpool Corporation no Brasil, por exemplo, selecionou duas startups (MVisia e Predict Vision) para desenvolvimento de tecnologias destinadas a registro e reconhecimento de produtos; identificação na mercadoria da data de aquisição para oferta de novos serviços ao consumidor, entre outras utilizações.

O diretor-geral do SENAI, Rafael Lucchesi, destaca que o objetivo dessa categoria do Edital é fomentar a construção de laços de confiança entre grandes indústrias e criativos empreendedores que resultem na partilha do risco inerente ao processo inovativo. “O grande diferencial dessa categoria é o compartilhamento de risco financeiro e tecnológico, por meio do lançamento de chamadas temáticas por uma instituição âncora para a criação conjunta de soluções inovadoras orientadas a desafios tecnológicos reais”, explica.

O Edital de Inovação para a Indústria seleciona e financia projetos de inovação, em seis categorias, com o objetivo de aumentar a competitividade do setor industrial. Os projetos selecionados na edição 2017-2018 terão financiamento de R$ 53,6 milhões, com custo individual de R$ 75 mil a R$ 400 mil. A seleção é feita com base em critérios como potencial de inovação e de comercialização do produto ou do processo. Além do fomento, as instituições oferecem apoio na forma de infraestrutura para desenvolver as propostas selecionadas por meio dos Institutos SENAI de Inovação e dos Institutos SENAI de Tecnologia.

Voltar ao Topo
Site Protection is enabled by using WP Site Protector from Exattosoft.com