Indústria

Siderurgia brasileira continua enfrentando problemas de produção e logística devido à greve dos caminhoneiros

A unidade brasileira de produção de minério de ferro da Companhia Siderurgica Nacional disse que declarou força menor devido a uma greve de caminhões que afeta o sul do país, onde a CSN tem operações. 

A unidade da CSN Mineração declarou queda, citando um impacto em sua capacidade de produção e logística no cumprimento das obrigações contratuais, informou a empresa em comunicado divulgado nesta terça-feira. 

“Além da falta de transporte terrestre, as conseqüências do que precede têm sido e continuam sendo a falta de matérias-primas e outros insumos, a redução da produção ou até possíveis paralisações, entre outros”, disse a CSN Mineração.

No primeiro trimestre, a produção de minério de ferro da CSN caiu de 7,85 milhões de toneladas para 6,12 milhões de toneladas no primeiro trimestre de 2017, devido à forte chuva e à limitada utilização de barragens de rejeitos. As vendas de minério de ferro no primeiro trimestre, incluindo vendas de minério de terceiros, aumentaram 3% no ano para 7,47 milhões de toneladas no terceiro trimestre de 2017. A CSN fornece minério de ferro para a usina siderúrgica integrada no Rio de Janeiro e exporta diversos tipos de minério de ferro para clientes globalmente . 

A empresa planeja ser menos dependente de barragens de rejeitos após o início da filtração no Q2 e Q4, e uso de usinas de concentração magnética no primeiro trimestre de 2019. 

Voltar ao Topo