Offshore

A ConocoPhillips contratou a TechnipFMC para o fornecimento do sistema

A ConocoPhillips contratou a TechnipFMC para o fornecimento do Sistema de Produção Submarino (SPS) para seu projeto offshore de gás e condensado Barossa, na Austrália.

A Technip Oceania, subsidiária da TechnipFMC, entregará o sistema e o suporte de instalação SPS associado para o projeto localizado a 300 quilômetros ao norte de Darwin. Em uma declaração separada, a parceira da ConocoPhillips no projeto Santos disse que o contrato da TechnipFMC incluía a engenharia, projeto e fabricação de cabeças de poço, manifolds e sistema de controle, bem como assistência para instalação e comissionamento.

O projeto offshore de gás e condensado leve Barossa está atualmente na fase de projeto de engenharia front-end (FEED). Sujeito a acordos comerciais que estão sendo acordados, Barossa fornecerá uma nova fonte de gás para a instalação existente de LNG de Darwin quando o atual fornecimento de gás offshore de Bayu-Undan estiver esgotado, disse a ConocoPhillips.

O conceito de desenvolvimento offshore de Barossa inclui um e FPSO, SPS e gasoduto de exportação de gás. O prêmio do contrato SPS EPC para TechnipFMC vem após premiações anteriores em junho de 2018 dos contratos de projeto de engenharia FEED da Barossa para o FPSO para MODEC , e infra-estrutura submarina e gasoduto de exportação de gás.

Comentando sobre o contrato SPS, o presidente da ConocoPhillips Australia West, Chris Wilson, disse que o prêmio foi “outro passo significativo no posicionamento de Barossa como um dos principais candidatos a prolongar a vida da unidade de LNG de Darwin por mais duas décadas”.

“Este prêmio representa um marco significativo no Projeto Barossa. As instalações da SPS incluem equipamentos críticos e de longo prazo, que devem ser solicitados antes de uma decisão final de investimento, a fim de cumprir o cronograma do projeto ”, disse Wilson.

“Continuamos a nos concentrar na forte disciplina de custos com todos os nossos contratados selecionados, desenvolvendo a certeza do planejamento de custo, cronograma e execução necessários para competir em nosso portfólio global e apoiar uma decisão final de investimento.”

O diretor-gerente e CEO da Santos, Kevin Gallagher, disse: “Este é o primeiro contrato de EPC a ser entregue a Barossa e um grande voto de confiança em sua posição como o principal projeto para o preenchimento de DLNG. Estamos fazendo um bom progresso na fase de engenharia e projeto front-end (FEED), incluindo a avaliação de ofertas para o gasoduto de exportação de gás. ”

Ele acrescentou: “Também estamos analisando propostas técnicas para a instalação flutuante de armazenamento e descarga de produção do MODEC e do consórcio Technip / Samsung Heavy Industries. Um edital para o contrato de perfuração de desenvolvimento também foi lançado, avançando ainda mais o projeto para cumprir o cronograma de aterramento da DLNG. ”

“O sucesso do desenvolvimento de Barossa vai mais que dobrar a produção de Santos na Austrália do Norte com base em nossa maior posição patrimonial no projeto”, disse Gallagher.

Santos, que detém uma participação de 25 por cento no projeto, disse que a parceria tem como alvo o FID no início de 2020.

Voltar ao Topo