Petróleo

A verdadeira razão pela qual o petróleo é socorrido no Brasil

O leilão final de petróleo deste ano no Brasil terminou em fracasso na quinta-feira, com a Big Oil afastando-se das licitações e apenas um dos cinco blocos premiados, sugerindo que os enormes pagamentos antecipados e esquemas complexos de royalties impediram a participação das maiores empresas de petróleo do mundo.

As principais empresas internacionais de petróleo não fizeram ofertas na 6ª Rodada de Licitações de Compartilhamento de Produção para áreas promissoras na camada pré-sal hoje, com apenas a empresa estatal brasileira Petrobras oferecendo uma oferta mínima para o bloco Aram , que ganhou em um consórcio com Companhia Nacional de Exploração e Desenvolvimento de Petróleo e Gás da China (CNODC).  

Os resultados assombrosos do leilão final de petróleo do Brasil para este ano ocorreram um dia após outro quase fracasso no maior leilão de petróleo já realizado no Brasil, no qual a Big Oil não fez lances e a Petrobras pegou dois dos quatro blocos em oferta.

Em outubro e novembro, o Brasil realizou três leilões de petróleo para diferentes áreas sob diferentes regimes em suas bacias offshore.

O primeiro leilão, realizado em outubro, foi um relativo sucesso, atraindo grandes empresas internacionais de petróleo, com a  Big Oil adquirindo  blocos de exploração. Total, Shell, BP, ExxonMobil, Chevron, Petrobras, Petronas e Repsol ganharam blocos de exploração de petróleo na rodada de licitações.

Mas os próximos dois leilões mostraram que, apesar dos enormes recursos oferecidos, a Big Oil ainda é cautelosa ao aplicar pagamentos adiantados para recolher blocos, independentemente de quão prolíficos eles prometam ser.

Depois de ganhar uma licença de exploração no leilão em outubro, a Total  confirmou  que não participaria da Rodada de Excesso de Transferência de Direitos (TOR), porque a licitação competitiva oferece apenas interesses não operados. A ExxonMobil também sugeriu que ficaria longe da rodada TOR, porque é muito caro .

O leilão final na quinta-feira foi abaixo do esperado, comparado às expectativas dos analistas. Após o leilão da TOR na quarta-feira, Wood Mackenzie disse que espera que as empresas principais sejam mais agressivas no leilão de quinta-feira. Eles não estavam. A Petrobras conseguiu um bloco, enquanto os outros quatro não receberam ofertas.

Comentando o fracasso do TOR na quarta-feira, Luiz Hayum, da equipe de pesquisa upstream da Wood Mackenzie na América Latina, disse:

“Os altos pagamentos iniciais dificultaram os resultados da rodada.”

 

Voltar ao Topo