Óleo e Gás

Abegás registra crescimento no consumo de gás natural em 21,6%

Abegás registra crescimento no consumo de gás natural em 21,6%

De acordo com um relatório realizado em fevereiro pela Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Gás Canalizado (Abegás), o consumo de gás natural registrou crescimento de 21,6% com relação ao mês de janeiro ainda deste ano. Com o crescimento, o consumo cresceu cerca de 12,4% com relação ao ano passado, produzindo atualmente 68 milhões de metros cúbicos por dia.

Segundo o presidente da Abegás,  “Em fevereiro tivemos alta em praticamente todos os segmentos na comparação com janeiro, com destaque para a indústria (4,82%), GNV (5,04%) e a geração elétrica (54,48%), um sinal de que as térmicas a gás podem cumprir um papel importante para garantir a segurança energética do País diante das perspectivas”‘, comentou Augusto Salomon.

Em relação ao consumo de gás residencial, foi registrado 0,91 milhões de metros cúbicos por dia, elevação de 9,04% em fevereiro versus janeiro, mas ainda 12,12% menor em relação a fevereiro de 2018. O consumo comercial fechou o segundo mês do ano com 0,88 milhões de metros cúbicos por dia, crescimento de 7,27% em fevereiro frente a janeiro.

“O gás natural pode ser a energia de base para o crescimento econômico do País nas próximas décadas, principalmente com as reservas do Pré-Sal. O aproveitamento desses ativos pode ganhar um impulso se o País adotar medidas que aumentem a concorrência na oferta de gás e emitam sinais que favoreçam novos investimentos”, acrescentou Salomon.

 

SOBRE A ABEGÁS:

A Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Gás Canalizado (ABEGÁS) é uma sociedade civil sem fins lucrativos constituída em 02 de fevereiro de 1990. Congrega, como associadas, as empresas concessionárias dos serviços de distribuição de gás canalizado dos vários Estados da Federação, acionistas e empresas participantes da indústria do gás no Brasil.

Em seus 29 anos de existência, a ABEGÁS tem atuado para que ocorra a ampliação da oferta de gás natural no país, quer seja de produção nacional ou através de importação; no estímulo ao fortalecimento das empresas distribuidoras de gás canalizado em todos os Estados da Federação; no intercâmbio e na cooperação técnica e institucional entre seus associados e outras entidades e, bem como, na colaboração com órgãos do governo federal e dos governos estaduais na formulação de programas de desenvolvimento e fortalecimento da Indústria Brasileira do Gás Natural.

Voltar ao Topo