Política

Advogado da família Bolsonaro compara mortes de Adriano da Nóbrega e Marielle Franco

O advogado da família Bolsonaro Frederick Wassef afirmou que a morte do ex-policial Adriano da Nóbrega foi uma execução com ajuda do governo da Bahia. Em entrevista à Folha de S. Paulo, ele diz ainda que “não é miliciano, nunca foi miliciano, não participava de nenhuma milícia”.

“O que tem é um brasileiro, a quem chamaram de miliciano, de chefe do escritório do crime, de envolvido na morte de Marielle [Franco, vereadora do PSOL assassinada em 2018] e de ser ligado à família Bolsonaro. Eu lhe afirmo e desafio a qualquer um no Brasil: todas as afirmações são falsas, mentirosas e levianas. O único objetivo dessa farsa é atingir a imagem da família Bolsonaro”, afirma o advogado.

Ainda segundo Wassef, tentaram “fabricar esse personagem, um monstro” para atrelá-lo ao filho do presidente. “De forma fraudulenta e por meio de fake news tentaram ligar Adriano a Flávio Bolsonaro”, diz. “Está claro que ele [Adriano] caiu em uma cilada”.

Voltar ao Topo