Offshore

Afinal, o que onshore e offshore ?

A indústria petrolífera é uma das mais importantes do mundo, sendo, possivelmente, a mais importante de nosso tempo. Todas as sociedades modernas apresentam dependência do petróleo, seja para gerar energia, alimentar e energizar máquinas ou promover a locomoção de pessoas e materiais ao redor do planeta.

Os números do mercado petrolífero em todo o planeta são impressionantes. Segundo a Agência de Informação Energética dos Estados Unidos, no ano de 2016 foram produzidos no mundo inteiro mais de 80 milhões de barris de petróleo por dia, cerca de 12,7 bilhões de litros de petróleo por dia. Multiplicando a cotação atual, próxima aos US$ 50 o barril, foram movimentados US$ 1,5 trilhões, na economia mundial, em todo o ano de 2016, apenas considerando a produção de petróleo.

Estes números impressionantes e que continuam em expansão são possíveis graças aos processos modernos de extração de petróleo. Atualmente, os processos de extração são classificados em offshore e onshore.

Neste artigo iremos explicar o que é Offshore e Onshore, apontando quais as características de cada método de produção, para que você possa se orientar com exatidão na hora de aplicar a uma vaga de emprego em uma empresa que atue onshore, ou offshore.

O que é Offshore

Offshore construction is the installation of structures and facilities in a marine environment, usually for the production and transmission of electricity, oil, gas and other resources.

Uma construção petrolífera offshore são as estruturas localizadas em alto mar. Elas atuam para a extração de petróleo no oceano e são muito utilizadas em oceanos profundos, com reservas abundantes de petróleo e geralmente afastadas do continente.

As plataformas de petróleo são as construções para a extração de petróleo offshore. A construção das mesmas é feita no continente, sendo que elas são embarcadas, para posteriormente serem içadas ou ficarem flutuando sobre o campo de extração, dependendo do tipo e modelo da plataforma.

Devido ao custo de construção de uma plataforma offshore, um bem elaborado estudo deve ser realizado sobre a área a ser explorada, pois é preciso compensar o custo da instalação, bem como outros fatores de risco, como os ambientes, por exemplo.

Atualmente, são realizadas explorações apenas nas fronteiras marítimas nacionais, nas ditas “águas internacionais”, que são reguladas conforme tratados internacionais, ainda não são permitidas extrações, nem por companhias multinacionais privadas. Porém, estudos começam a apontar que existem reservas de petróleo potencialmente lucrativas em águas internacionais, o que pode alimentar um conflito diplomático internacional em um futuro não muito distante.

O ritmo de trabalho offshore geralmente se baseia por vários dias, ou meses, seguidos com o profissional embarcado na plataforma. O trabalho em um plataforma offshore pode exigir muito do profissional, já que ele deverá ficar afastado da família por um tempo considerável, o que pode gerar potenciais danos psicológicos a longo prazo.

No entanto, se o profissional estiver em boas condições físicas e mentais, bem como com todas as certificações e cursos necessários para tal trabalho em dia, certamente terá uma experiência extremamente valiosa, seja do ponto de vista profissional, pessoal ou financeiro.

Os ganhos profissionais de um profissional embarcado costuma ser muito atrativos, já que sobre os ganhos salariais normais do profissional, ainda incidem alguns adicionais, como o adicional noturno e o de insalubridade. Outro ponto positivo é o regime de aposentadoria especial que se aplica aos profissionais que trabalham embarcados, que podem ter a vantagem de requer a aposentadoria com maior antecedência.

Se ficar longe da família pode ser um incômodo na vida dos profissionais que trabalham em plataformas offshore, isto é compensado pela possibilidade de oferecer uma melhor condição de vida aos entes queridos, além de poder disfrutar de um longo período de descanso, após a finalização do período embarcado.

Com a retomada da indústria petrolífera no Brasil, que começa a se recuperar dos abalos da crise de 2015 e 2016, e as boas perspectivas do Pré-Sal, o setor de exploração petrolífera offshore no Brasil promete voltar a ser atraente e abrir muitos novos postos de trabalho nos próximos anos.

O que é Onshore

Outra modalidade de exploração petrolífera é a onshore. Diferentemente da offshore, a modalidade onshore realiza a exploração no continente, em terra firme.

Historicamente, as primeiras explorações de petróleo realizadas na história foram onshore. O início da exploração petrolífera, em meados do final do século XIX nos Estados Unidos, era feito através das icônicas torres de extração de petróleo, que são, até hoje, o modelo mais comum de extração onshore.

Devido ao menor investimento necessário para sua implantação, um construção onshore permite maior dinamismo ao mercado, dado que abre a opção exploratória às pequenas e médias empresas, que não possuem capacidade de investimento para o mercado offshore.

No Oriente Médio, região do globo aonde mais se extrai petróleo, o uso de plataformas onshore é predominante, preenchendo as paisagens dos vastos desertos, típicos da região.

No Brasil, a extração onshore ainda é pouco abordada pelas empresas do setor. Atualmente, segundo dados da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro, existem 192 campos de exploração petrolífera no Brasil, sendo que 20% destes campos pertencem à Petrobras.

75% dos campos de exploração brasileiros estão localizados na região Nordeste e, no ano de 2016, o Brasil produziu cerca de 120 mil barris de petróleo, por dia, nas plataforma onshore.

O regime de trabalho de um trabalhador onshore é semelhante ao de um industriário comum, dado que sem a necessidade de trabalhar longe do continente, como é o caso do trabalhador offshore, a jornada de trabalho pode seguir a contumaz ao mercado, com 8 horas diárias.

É comum o regime de turnos para o trabalhador onshore, especialmente aqueles mais envolvidos com a área produtiva da planta. No entanto, os ganhos financeiros costumam compensar, dado que além do salário o trabalho pode receber adicionais de insalubridade e noturno, por exemplo.

Apesar de ainda ser relativamente pequeno, o setor de exploração petrolífera onshore no Brasil tem potencial de crescimento. Os especialistas do setor afirmam que as concessões exploratórias, que serão assinadas entre os anos de 2017 e 2019, devem proporcionar crescimento ao setor, com inúmeras novas vagas sendo abertas pelas empresas.

Voltar ao Topo