Óleo e Gás

ANP informa que produção de campos de pré-sal totaliza 51,5%

A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) divulgou na última terça-feira (5), em nota, que os campos de Lula, Búzios e Sapinhoá, todos no pré-sal da Bacia de Santos, produziram 1,924 MMboe/d, o que corresponde a cerca de 51,5% e mais da metade da produção brasileira no mês de setembro.

Em destaque, o campo de Lula foi o que mais produziu petróleo: uma média de 962 MMbbl/d, além disso, também foi o maior produtor de gás natural, com uma média de 39,7 MMm3/d.

A produção do Pré-sal, gerada por 110 poços, foi de 1,827 MMbbl/d de petróleo e 73,3 MMm³/d de gás natural, totalizando 2,289 MMboe/d. Esse valor corresponde a 61,2% do total produzido no Brasil.

Já o aproveitamento de gás natural foi de 97,5% e queima de gás no mês foi de 3,275 MMm³/d, uma redução de 1,4% se comparada ao mês anterior e aumento de 5,2% se comparada ao mesmo mês em 2018.

Sobre a ANP

Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP, criada em 1997 pela lei n º 9.478, é o órgão regulador das atividades que integram as indústrias de petróleo e gás natural e de biocombustíveis no Brasil. Suas atividades foram iniciadas em 14 de janeiro de 1998. Vinculada ao Ministério das Minas e Energia é a autarquia federal responsável pela execução da política nacional para o setor.

É conduzida por uma diretoria colegiada,composta de um diretor-geral e quatro diretores com mandatos de quatro anos não coincidentes. Sessões deliberativas da diretoria emitem portarias, resoluções e instruções normativas para as indústrias reguladas e podem resolver pendências entre agentes econômicos e entre esses agentes e os consumidores. Todas as decisões são publicadas na internet. A ANP também realiza audiências públicas antes de tomar qualquer decisão sobre normas que possam afetar direitos.

A ANP é também um centro de referência em dados e informações sobre a indústria do petróleo e gás natural: mantém o Banco de Dados de Exploração e Produção (BDEP), promove estudos sobre o potencial petrolífero e o desenvolvimento do setor; recebe e torna públicas as notificações de descobertas; divulga as estatísticas oficiais sobre reservas e produção no Brasil; realiza pesquisas periódicas sobre qualidade dos combustíveis e lubrificantes, e sobre preços na comercialização desses produtos.

Voltar ao Topo