Empregos

Apesar da alta demanda, os preços caem no Brasil

Nas quatro semanas completas de maio, o índice CEPEA / ESALQ para o etanol hidratado alcançou a média de 1,64492 reais por litro, 10,9% menor do que nas semanas inteiras de abril. Em relação ao etanol anidro, o Índice CEPEA / ESALQ recuou 3,15%, com média de 1,92372 BRL por litro – ambos no mercado à vista.

Os dois primeiros meses da safra 2019/20 mostraram que o comportamento dos preços do etanol ainda não foi definido. A demanda continua firme nas bombas, devido à vantagem do etanol hidratado contra a gasolina, e a moagem de cana continua menor do que no mesmo período da safra anterior. Ainda assim, as cotações (em termos reais) são semelhantes às observadas no mesmo período de 2018.

A quantidade de etanol hidratado negociada em maio em São Paulo foi semelhante à do mês anterior, tendo diminuído ligeiramente 0,45%, segundo dados do Cepea. Comparado ao mesmo período de 2018, no entanto, o volume comercializado no mês passado aumentou 34%.

Na primeira quinzena de maio, o ritmo de negociação foi rápido no mercado de etanol hidratado. Segundo dados da Unica (Associação da Indústria de Cana-de-Açúcar), o volume de etanol negociado pelas refinarias da região centro-sul do Brasil nas duas primeiras semanas do mês totalizou 1,32 bilhão de litros, 16% acima do registrado no mesmo período de 2018. (1,14 bilhão de litros). No mercado brasileiro, foram comercializados 934,72 milhões de litros de etanol, o maior volume comercializado na primeira quinzena de maio e 21,5% maior que o do mesmo período do ano passado (769,14 milhões de litros).

Para o etanol anidro, os negócios internos somaram 382,36 milhões de litros na primeira quinzena de maio, 16,35% acima do registrado no mesmo período do ano passado (328,63 milhões de litros). Esse resultado refletiu as vendas de etanol anidro para o norte e nordeste do Brasil.

Quanto ao índice ESALQ / BM & FBovespa para o etanol hidratado entregue em Paulínia (SP), em 31 de maio, fechou em R $ 1.744,00 por metro cúbico (sem impostos), queda de 1,5% em relação a 30 de abril.

Voltar ao Topo