Biocombustíveis

Aumento do preço do petróleo deve melhorar as perspectivas de etanol no Brasil

Espera-se que um aumento nos preços do petróleo após ataques recentes a instalações na Arábia Saudita melhore uma perspectiva já positiva para o etanol no Brasil, de acordo com analistas e representantes do setor, relegando ainda mais o açúcar para o fundo das usinas que processam o etanol em grande parte.

Se os preços mais altos do petróleo levarem ao aumento dos preços da gasolina no Brasil, o etanol manterá sua vantagem sobre o combustível fóssil nas bombas, potencialmente levando a uma forte demanda e boas margens de lucro para as usinas, disseram participantes do mercado.

Supondo que esse cenário aconteça, as usinas – que já usam 75% de cana para produzir etanol e o restante para açúcar – continuariam a favorecer o etanol devido aos melhores retornos, reduzindo a produção esperada de açúcar este ano, disseram eles.

“Mas tudo depende do que a Petrobras fará, se repassará à gasolina o aumento dos preços internacionais do petróleo”, disse Antonio de Padua Rodrigues, diretor do grupo da indústria de cana Unica.

A Petrobras, ou Petroleo Brasileiro SA, detém o monopólio do refino no país, definindo os preços da gasolina e do diesel.Há dois anos, a empresa adotou uma política de rastreamento dos preços internacionais do petróleo, mas enfrentou pressão do governo para limitar os aumentos à medida que o novo governo tenta aumentar sua popularidade.

Um ataque paralisante às instalações de petróleo da Arábia Saudita no final de semana reduziu a produção global em 5% e elevou os preços do petróleo mais de 14% na segunda-feira. Autoridades de inteligência dos EUA disseram que as evidências apontam que o Irã está por trás do ataque, levantando preocupações sobre uma possível resposta que poderia perturbar ainda mais os mercados mundiais e o suprimento global.

Após o ataque, a Petrobras disse que tomaria cuidado com as decisões de preço. Os preços do petróleo caíram ligeiramente na terça-feira, mas permanecem muito mais altos que na semana passada.

“Será um teste para a Petrobras, vamos ver”, disse Rodrigues.

No passado, a Unica criticou a companhia de petróleo por não ajustar os preços domésticos de combustíveis quando os preços do petróleo mudam.

Tomas Manzano, estrategista da Copersucar, um dos principais comerciantes brasileiros de açúcar e etanol, disse que o novo risco geopolítico deve sustentar os preços mais altos do petróleo nos próximos meses, abrindo espaço para preços potencialmente mais altos também.

“A expectativa é de algum tipo de aumento no preço da gasolina, o que beneficiará o etanol”, disse ele à Reuters à margem da Novacana Ethanol Conference 2019, em São Paulo.

Fabio Meneghin, analista de açúcar e etanol da Agroconsult, disse que as usinas podem reduzir as vendas de etanol no mercado spot esta semana, esperando uma possível mudança da Petrobras.

A consultoria de açúcar e etanol FG / A, no entanto, teve uma visão diferente. O sócio Juliano Merlotto acredita que altos níveis de produção de etanol no Brasil levarão a estoques muito grandes nos próximos meses, pressionando preços e margens de lucro para as usinas.

“Os preços do petróleo provavelmente retornariam aos níveis anteriores quando a situação da oferta se estabilizar, e então teremos muito etanol no mercado”, disse ele.

Voltar ao Topo