Petróleo

Avaliação de oferta da Saudi Aramco deve ficar abaixo de US$ 2 tri

Os bancos de investimento contratados pela Saudi Aramco devem entregar até sexta-feira suas recomendações finais sobre a avaliação da estatal petroleira da Arábia Saudita para a oferta pública de ações. Segundo fontes familiarizadas com o assunto, o valor deve ficar abaixo dos US$ 2 trilhões esperados pelo príncipe herdeiro saudita Mohammed bin Salman.

O príncipe indicou um valor próximo de US$ 2 trilhões, mas essa meta já encontrou resistência de executivos da própria companhia que trabalham na oferta, que sugerem US$ 1,5 trilhão como mais realista. Segundo as fontes, essa avaliação ganha apoio entre os subscritores da oferta. O grupo inclui J.P. Morgan Chase, Goldman Sachs Group e Morgan Stanley.

A Saudi Aramco não havia respondido até o fechamento desta nota as perguntas enviadas por e-mail.

A Saudi Aramco está na etapa final para listar suas ações na Tadawul, bolsa de valores da Arábia Saudita. O príncipe saudita planeja ofertar cerca de 5% da companhia, por meio de uma listagem doméstica e, no futuro, internacional.

Não está claro se a oferta da Saudi Aramco pode ser adiada, caso o valor de US$ 2 trilhões não seja atendido. No entanto, a operação já foi postergada anteriormente, em 2018, devido questões em torno da avaliação e sobre o local de listagem internacional. Neste momento, segundo uma fonte próxima, o valor está entre US$ 1,3 trilhão e US$ 1,7 trilhão.

O plano é concluir a abertura de capital até o feriado americano de Ação de Graças, em 28 de novembro.
Voltar ao Topo