Mineração

BHP enfrenta reivindicação de US $ 5 bilhões

A gigante de mineração anglo-australiana BHP está enfrentando uma indenização de US $ 5 bilhões na Inglaterra por ser “terrivelmente negligente” no período que antecedeu a falência de uma barragem em 2015, que levou ao pior desastre ambiental do país.

A ação, que será a maior ação de grupo a ser ouvida na Inglaterra, foi realizada na mineradora na terça-feira em nome de 235 mil brasileiros e organizações, incluindo prefeituras municipais, empresas de serviços públicos, tribos indígenas e a Igreja Católica, segundo escritório de advocacia. Lei SPG.

O porta-voz da BHP, Neil Burrows, disse que o mineiro pretendia se defender contra os procedimentos, trazidos na cidade de Liverpool, no norte da Inglaterra.

O colapso da barragem de rejeitos de Fundao, que armazenou resíduos de mineração e pertence à joint venture Samarco entre a BHP e a mineradora brasileira de minério de ferro Vale, matou 19 e derramou cerca de 40 milhões de metros cúbicos de lama tóxica em comunidades, o Rio Doce. e o Oceano Atlântico a 650 km.

Os reclamantes alegam que a BHP, a maior empresa de mineração do mundo por valor de mercado, estava ciente das crescentes preocupações de segurança, não atendeu a repetidos alertas de especialistas de segurança independentes, aumentou a produção industrial de minério de ferro apesar das preocupações de segurança e colocou a busca de lucros humanos e ambientais risco.

“Impulsionada pela preocupação com a queda das receitas em meio à queda do preço de mercado do minério de ferro, a empresa assumiu riscos, aumentou a produção e fez vista grossa a perigos que acabaram levando vidas e destruindo comunidades”, disse Tom Goodhead , sócio da SPG Law. está representando requerentes.

“A BHP foi extremamente negligente em seu dever de cuidado e os danos buscados são inteiramente proporcionais à devastação que a empresa causou …”, acrescentou.

O Brasil cobrou 22 pessoas em 2016 com crimes, incluindo assassinato, por causa do colapso da barragem de Fundao. No ano passado, as mineradoras liquidaram uma indenização civil de 20 bilhões de reais (US $ 5 bilhões) com as autoridades locais para estabelecer um fundo de limpeza. Outros casos públicos, como um caso de reparação civil de US $ 40 bilhões, estão suspensos.

A BHP, que isolou separadamente uma ação de classe de investidores dos EUA e continua a combater ações de acionistas da Austrália, rejeitou todas as acusações contra a empresa, bem como funcionários atuais e antigos.

Embora o desastre seja a pior catástrofe ambiental do país, o colapso de uma represa operada pela Vale na cidade de Brumadinho, em janeiro, causou um aumento no número de mortos, atualmente estimado em 300 pessoas.

Voltar ao Topo