Economia

Bolsonaro anuncia ajuda de R$ 600 para trabalhadores informais

Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro, em transmissão ao vivo realizada no Facebook na noite desta quinta-feira (26), afirmou que o valor da ajuda financeira a ser dada aos trabalhadores informais atingidos pela crise do coronavírus será de R$ 600, triplicando o valor inicialmente estudado pelo governo.

Segundo Bolsonaro ele recebeu o ok do ministro da Economia, Paulo Guedes, para majorar o valor e afirmou que o líder do governo na Câmara, deputado Major Vitor Hugo, já estaria conduzindo a articulação junto aos deputados (que sinalizavam votar benefício no valor de R$ 500). O “voucher” será pago por um período de três meses de acordo com o presidente.

Ainda sobre a pandemia da covid-19, Bolsonaro afirmou durante a live que não minimizaria o coronavírus, ao afirmar que “todos nós estamos preocupados com a vida”, mas na sequência defendeu que “para 90% da população essa gripe é quase nada”. Até o momento o país tem quase 3 mil pacientes diagnosticados e 77 mortes.

Após fazer diversas cobranças pela retomada das atividades econômicas ao longo da semana e críticas a governadores e prefeitos que decretaram restrições, Bolsonaro sinalizou que a preocupação é maior com os resultados econômicos da pandemia “Esse vírus aí, essa onda chegou vai passar, agora o que não pode  chegar é uma onda de desemprego em cima de você, que essa demora para passar”, afirmou.

O presidente tem defendido mudanças no isolamento social, que deixaria de ser horizontal e passaria a vertical, mantendo em casa apenas idosos e pessoas que tem comorbidades. A jornalistas durante a tarde, Bolsonaro afirmou que o ministro Luiz Henrique Mandetta já teria concordado com a alteração e que a Saúde estuda mudança como implementar a medida.

Para a Saúde, Jair Bolsonaro voltou a depositar esperanças em medicações como a hidroxicloroquina, que ainda não tem eficácia comprovada contra o coronavírus, mas que tem apresentado resultados positivos conforme o Ministério da Saúde. Com caixas de fármacos em mãos, afirmou que “se Deus quiser, esse vai ser confirmado brevemente como remédio para todos aqueles diagnosticados com covid-19”. O presidente mais uma vez chamou a preocupação com a doença de “histeria plantada pela imprensa”.

Voltar ao Topo