Biocombustíveis

Brasil amplia cota de importação isenta de tarifas para o etanol

A decisão, tomada após negociações entre autoridades americanas e brasileiras no final da semana passada, expande a cota anual de etanol originário de fora da união aduaneira do Mercosul para 750 milhões de litros (4,72 milhões de bl) a 600 milhões de l / ano.

O contingente de importação livre de tarifas anterior, que entrou em vigor em 1 de setembro de 2017, expirou em 31 de agosto.

A decisão beneficiará os produtores de etanol nos EUA, que forneceram 93% das importações brasileiras nos primeiros sete meses de 2019.

Quaisquer importações acima de 187,5 milhões por trimestre estarão sujeitas a uma tarifa de 20%. As importações do bloco Mercosul – que inclui Argentina, Paraguai e Uruguai, além do Brasil , permanecem isentas da tarifa.

A ministra da Agricultura do Brasil, Tereza Cristina Correa, discutiu a tarifa com seu colega norte-americano, Sonny Perdue, em uma teleconferência em 30 de agosto. O Ministério da Agricultura do Brasil propôs a troca de uma extensão da cota de importação sem tarifas por uma fatia maior das cotas de importação dos EUA por açúcar. Os EUA prometeram continuar as discussões sobre a expansão de sua cota para o açúcar brasileiro.

A principal associação do setor sucroalcooleiro do Brasil, Unica, disse que a decisão tarifária foi uma vitória para o Brasil, mas apenas se trouxesse maior acesso ao mercado de açúcar dos EUA para as usinas brasileiras.

O movimento tarifário provavelmente será criticado pelas usinas da região nordeste do Brasil, que tem sido o destino da maioria das exportações de etanol dos EUA. O chefe do sindicato dos produtores de açúcar e etanol de Pernambuco, Renato Cunha, advogou a expiração da cota livre de tarifas, argumentando que ela não foi eficaz.

A expansão da cota livre de tarifas do Brasil ocorre depois que o presidente dos EUA, Donald Trump, prometeu um “pacote gigante” para a indústria de etanol dos EUA, enquanto seu governo é criticado por emitir isenções de refinaria que reduziram a demanda doméstica de etanol.

Voltar ao Topo