Mercado

Brasil envia milho para os EUA pela primeira vez em 2019

O Brasil enviou esta semana 60.000 toneladas de milho para os Estados Unidos, segundo dados da Refinitiv, um destino de exportação incomum, dado o status do país norte-americano como o maior produtor e exportador de cereais.

O milho foi exportado pela Cargill, mostraram informações de programação de navios. A Cargill confirmou o embarque, recusando-se a elaborar.

A NovaAgri SA, outra trader local de grãos, informou em comunicado que também enviou 60.000 toneladas do cereal para o frigorífico Smithfield Foods, sediado nos EUA, no dia 3 de setembro, a partir do porto de Santos.

Os dados de embarque da Cargonave mostram que um navio chamado King Milo levará cerca de 52.400 toneladas de milho para os Estados Unidos no dia 17 de outubro, a partir do porto de Itacoatiara.

Até agora em 2019, as exportações brasileiras de milho totalizaram 27,46 milhões de toneladas, superando todo o volume vendido no mercado externo no ano passado.

Em junho, fontes do mercado disseram que o Brasil estava vendendo milho para os Estados Unidos, com os embarques começando em setembro, uma medida que sustenta a capacidade dos vendedores locais de acessar novos mercados em meio a uma safra recorde.

As fontes disseram que a demanda dos EUA pelo milho no Brasil foi motivada por temores de quebra de safra na América do Norte, já que os agricultores americanos lidaram com questões climáticas no início da estação de plantio.

Em um ponto deste ano, esses temores levaram os preços do milho de Chicago a atingirem US $ 4,54 por bushel. Atualmente, o grão está sendo negociado em torno de US $ 3,70.

O mapa interativo de monitoramento de navios da Refinitiv mostrou que um navio chamado Qing Hua Shan terminou de carregar o milho da Cargill destinado aos Estados Unidos na quarta-feira.

O navio foi carregado no terminal de CGG (Cantagalo General Grains) no porto de Itaqui, um gateway conveniente mais próximo dos Estados Unidos do que Santos, o maior porto do Brasil, localizado na região sudeste do país.

Os dados do Agrostat, compilados pelo Ministério da Agricultura, ainda não mostram os embarques de milho da Cargill e NovaAgri para os EUA.

O governo brasileiro prevê que as exportações de milho crescerão 47% nesta temporada, para 35 milhões de toneladas.

“É apenas o primeiro, ainda há outros por vir”, disse Frederico Humberg, diretor executivo da AgriBrasil, à Reuters na sexta-feira em relação à perspectiva de mais exportações do grão este ano.

As expectativas de vendas brasileiras recorde no exterior refletem uma taxa de câmbio favorável e uma colheita abundante de quase 100 milhões de toneladas, disseram traders.

Segundo dados do governo brasileiro, o Brasil está vendo a demanda de compradores tradicionais de milho dos EUA, incluindo México e Colômbia, que já compraram mais de 500.000 toneladas de janeiro a agosto.

Voltar ao Topo