Mercado

Brasil estima superávit comercial este ano chegando a US $ 56,7 bilhões

O Ministério da Economia do Brasil elevou sua projeção para o superávit comercial do país neste ano para US $ 56,7 bilhões, ante US $ 50 bilhões, mas alertou que a atividade comercial diminuirá devido à desaceleração do crescimento econômico global.

Embora a nova previsão do Ministério da Economia suba cerca de 13,4% de sua projeção original, ainda seria menor do que o superávit de US $ 58,03 bilhões do ano passado, o que significa que o comércio ainda está no caminho do crescimento econômico brasileiro neste ano.

Falando a repórteres em Brasília após a divulgação dos dados do comércio de junho, os funcionários do Ministério da Economia disseram que as exportações devem cair 2,0% neste ano em comparação com 2018 e as importações em 1,9%.

“O crescimento global este ano deverá ser menor do que no ano passado e, obviamente, vamos sofrer como resultado”, disse Lucas Ferraz, secretário de comércio exterior do ministério.

Ferraz e outros funcionários do ministério também falaram sobre o acordo de livre comércio acordado pela União Européia e o Mercosul na semana passada, após 20 anos de negociações, e os benefícios potenciais que trará para o comércio brasileiro.

Ferraz disse que o acordo, que não deve entrar em vigor por pelo menos três anos, vai aumentar as exportações totais e as importações em cerca de 1 trilhão de reais (US $ 261 bilhões) e estimular 453 bilhões de reais de investimento em 15 anos.

O tamanho do produto interno bruto brasileiro no mesmo período de 15 anos crescerá em até 500 bilhões de reais, estima Ferraz.

Marcos Troyjo, secretário especial para o comércio e relações internacionais do ministério, disse que o acordo foi uma mudança de modelo para o bloco, que consiste no Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai e oferece ao Brasil uma oportunidade para aumentar sua pegada relativamente pequena no comércio global.

Voltar ao Topo