Petróleo

Brasil fica de fora da OPEP para maximizar sua expansão de produção

O Brasil, que se tornou exportador líquido de petróleo no ano passado, quer expandir sua presença nos mercados globais de energia sem se juntar à OPEP.

O país sul-americano espera estar entre os cinco principais exportadores de energia até 2030 e está investindo em investimentos privados para aumentar a produção, de acordo com o ministro de energia e minas Bento Albuquerque. Também está trabalhando para tornar as regras mais favoráveis ​​para os investidores nos próximos leilões de licenças de petróleo e gás natural.

“A ideia é apenas aumentar nossa produção e participar mais do mercado internacional de petróleo e gás”, disse ele em entrevista em Nova Délhi. “Mas este não é um plano para o Brasil ingressar na OPEP ou em qualquer outra associação ou grupo de produtores de petróleo e gás. Não queremos restrições, queremos aumentar nossa produção.

Com a produção do Brasil ajustando-se significativamente nos próximos anos, à medida que mais reservas offshore forem perfuradas, houve especulações sobre se ela fará parte da OPEP. Enquanto o presidente Jair Bolsonaro recebeu no ano passado um convite informal para se juntar ao grupo, o chefe da empresa de energia controlada pelo estado do país descartou a ideia.

O Brasil está aberto a ter discussões com membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo sobre questões relacionadas à energia, disse Albuquerque. Ele espera visitar a Arábia Saudita, o maior produtor da OPEP, ainda este ano.

O país latino-americano está buscando feedback das principais empresas mundiais de petróleo para melhorar a participação nos próximos leilões. Ele quer aumentar a participação na produção de outras empresas que não a estatal Petroleo Brasileiro SA, conhecida como Petrobras.

“A Petrobras tem muito petróleo e muitas áreas para explorar, mas não tem fundos suficientes para prospectar todas essas áreas”, disse Albuquerque. “Há um limite para a Petrobras. Por esse motivo, queremos torná-lo atraente para que outros participem e façam o investimento. ”

Voltar ao Topo