Energia

Brasil: Ministro busca investidores privados para concluir usinas nucleares até 2026

O Brasil pretende concluir sua terceira usina nuclear até 2026 com a ajuda do investimento privado, disse na quarta-feira o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, em uma tentativa de impulsionar o projeto de décadas de corrupção.

O ministro havia dito anteriormente a um jornal nacional que era favorável à retomada da construção da usina nuclear de Angra 3, que foi suspensa desde 2015, e que o custo estimado de 15 bilhões de reais (US $ 3,95 bilhões) para concluir o projeto seria dinheiro bem gasto. .

Embora a tecnologia nuclear deva permanecer nas mãos do governo, Albuquerque disse a repórteres que o ministério está trabalhando com a secretaria de parcerias público-privadas de infra-estrutura do governo para criar um modelo para permitir que empresas privadas participem da construção.

“Se houver viabilidade econômica, se conseguirmos atrair investidores para terminar a construção de Angra 3, concluiremos Angra 3 dentro dessa meta de entrar em operação até 2026”, disse ele na coletiva de imprensa.

A construção foi interrompida no projeto em 2015, em meio a alegações de que as empresas pagaram suborno para garantir contratos, o que levou a várias prisões e provocou uma investigação por promotores públicos. 

“É apenas uma questão de obter o investimento necessário para concluir a construção”, disse Albuquerque. 

Albuquerque, um almirante que já liderou o programa de desenvolvimento de tecnologia e nuclear da Marinha, propôs o início dos esforços de energia nuclear do país, bem como os esforços para explorar o urânio . 

Cinco empresas manifestaram interesse em investir em Angra 3 depois que o conselho de energia do país, o CNPE, quase dobrou a tarifa de referência para 480 reais (US $ 126) por megawatt hora, disse Reive Barros, secretário de planejamento energético do ministério.

Albuquerque disse anteriormente que qualquer investimento privado no projeto, supervisionado por uma unidade da concessionária estadual Centrais Eletricas Brasileiras SA, seria limitado a 49% das ações. 

Albuquerque também disse na quarta-feira que o governo se esforçaria para realizar um leilão em 2019 de petróleo extra em uma área marítima que está envolvida em uma disputa com a petrolífera estatal Petróleo Brasileiro SA. 

Uma disputa data de 2010, quando o governo brasileiro concedeu à Petrobras o direito de extrair 5 bilhões de barris de petróleo e gás na bacia marítima de Santos . 

No entanto, estima-se que o volume de petróleo na área seja muito maior, e o governo, que está carente de recursos, não pode vender as reservas excedentes até chegar a um acordo com a Petrobras.

Voltar ao Topo