Indústria

Brasil precisa capacitar 10,5 milhões de trabalhadores industriais para 2023

O Brasil precisa qualificar 10,5 milhões de trabalhadores industriais até 2023 para atender à demanda de empregos na tecnologia. A conclusão está contida no Map Industrial Work 2019-2023, lançado pelo Senai (antigo) para orientar a instituição que oferece cursos nos próximos anos.

Segundo a pesquisa, a maioria desses 10,5 milhões de profissionais relacionados ao setor precisa passar por reciclagem ou aperfeiçoamento, tanto para modernizar as estações existentes quanto para restaurar as vagas de trabalhadores que se aposentam ou desligam os serviços. O estudo, no entanto, detectou o potencial de criação de 33.453 empregos relacionados à mudança tecnológica.

Em números absolutos, a maior geração de empregos ocorrerá nas ocupações instaladoras e reparadoras de linhas e cabos elétricos, comunicação telefônica e de dados (14.367), operadores de fresadoras (5.356) manutenção mecânica e técnica de máquinas, sistemas e ferramentas (3.560). Essas funções exigem qualificação técnica de nível ou mais de 200 horas.

Em percentuais, o maior crescimento em número de funcionários nos próximos quatro anos deve beneficiar os drivers do mercado de processos robóticos (22,9%), de nível superior. Em seguida, vêm técnicos em mecânica de veículos (19,9%) e duas ocupações de nível superior: engenheiros ambientais e afins (19,4%) e pesquisadores de engenharia e tecnologia (17,9%). O desempenho é superior ao crescimento estimado de 8,5% dos empregos na indústria entre 2019 e 2023.

Transversalidade
Em relação à necessidade total de treinamento de trabalhadores (atuais e novos), o Senai constatou que as funções transversais, que permitem aos profissionais trabalhar em indústrias de qualquer área, exigirão o aumento da demanda por treinamento. Dos 10,5 milhões de trabalhadores que precisam ser qualificados, 1,7 milhão trabalha nesta categoria, abrangendo profissionais de pesquisa e desenvolvimento, controle técnico de produção e designers industriais, entre outras carreiras.

Outras ocupações que exigirão treinamento nos próximos anos são metalurgia (1,6 milhão), construção (1,3 milhão), transporte e logística (1,2 milhão), alimentos (754 mil), informática (528 mil) , eletrônica (405 mil) e energia e telecomunicações (359 mil). Embora essas funções sejam caracterizadas pela base de conhecimento industrial, esses trabalhadores podem atuar tanto na indústria quanto em outros setores.

Somente os empregos de nível superior, as áreas que mais necessitam de profissionais qualificados para 2023 são: computador (368 mil), administração (254,8 mil), construção (81 mil), Metalmecânica (56,4 mil) e produção (40,3 mil). No nível técnico, as demandas se concentram nos segmentos de logística e transporte (495,2 mil), Metalmecânica (217,7 mil), energia e telecomunicações (181,4 mil), eletrônica (160,4 mil), Informática (160 mil) e construção (120,9 mil).

Voltar ao Topo