Economia

Caixa libera novos saques do FGTS aos trabalhadores

Caixa

A Caixa Econômica Federal inicia nesta sexta-feira (10) a nona e penúltima etapa de pagamentos do saque imediato do FGTS.

A retirada de até R$ 500 de cada conta ativa ou inativa do fundo será autorizada a 9,1 milhões de trabalhadores nascidos em setembro ou outubro.

Nesta nova etapa do calendário de pagamentos, a Caixa estima que até R$ 3,3 bilhões em recursos do FGTS poderão ser destinados aos beneficiários.

Retiradas nos terminais da Caixa estão disponíveis

Os trabalhadores podem optar pelo saque em agências, caixas eletrônicos, casas lotéricas e correspondentes do banco, este último destinado só para quem tem o Cartão do Cidadão e a senha.

Quem não possui o Cartão do Cidadão, mas tem a senha, pode realizar a retirada nos terminais de autoatendimento da Caixa ou nas lotéricas com do documento de identidade.

Quando o saldo das contas FGTS for de até R$ 100, o saque é realizado de forma simplificada nas casas lotéricas, apenas com o número do NIS ou CPF e o documento de identidade.
A Caixa orienta que o trabalhador leve a carteira profissional.

Nesta sexta (6) e na segunda-feira (9), 2.381 agências da Caixa abrirão em horário estendido. A lista com as agências está no site fgts.caixa.gov.br. (APB)

Sistema já funciona para alguns casos

O INSS confirmou que alguns sistemas precisam ser adaptados para as novas regras. O órgão diz que adequou a análise de vários benefícios, como salário-maternidade e auxílio-doença.
Segundo o governo, o auxílio representa a maior demanda regular do órgão. Para os outros casos, promete “rápida fase de adaptação”.

Já com relação aos trabalhadores que têm direito adquirido (ou seja, completaram os requisitos antes do início da reforma), o INSS informa que, mesmo que o trabalhador tenha solicitado o benefício após a entrada em vigor das novas regras, mas adquiriu os direitos antes da promulgação, sua renda será calculada com as regras mais vantajosas para ele.

O órgão não informou quantos benefícios estão pendentes de análise hoje.
A suspensão afeta quem está aguardando o benefício para ter uma renda. Mesmo que a concessão traga atrasados, o valor que deixou de ser pago por mês pode afetar a renda familiar. A pensão tem a data da morte do segurado como referência para o novo cálculo. (APB)

Voltar ao Topo