Energia

Ceará pode fornecer energia solar e eólica concentrada em todo o Brasil

Segundo o Atlas do potencial solar e eólico do Ceará, o estado poderia gerar 94,3 GW, incluindo energia solar, eólica térmica e fotovoltaica. Pioneiro no estímulo à geração de turbinas eólicas no Brasil, o Ceará está prestes a lançar seu primeiro atlas híbrido de energia solar e eólica.

 O estudo traz uma análise integrada de recursos e potencial de geração do estado que abrange áreas do litoral e interior do Ceará. O novo atlas é uma demanda da Câmara do Setor de Energias Renováveis ​​da Agência de Desenvolvimento do Ceará (Adece) e será um ponto de partida para atrair novos investimentos para o estado.

“Os estudos estão prontos, estamos finalizando a compilação de ferramentas de dados e tecnologia da informação (TI), que ajudarão os investidores a acessar informações. Com o atlas, podemos mostrar onde temos os melhores ventos e as melhores condições de radiação solar. Mesmo com notas relacionadas a questões ambientais ”, explica o presidente da Adece, Eduardo Neves.

O novo atlas distingue o Ceará de outros estados no horário de pico da geração de parques eólicos com turbinas eólicas, com maior potencial de geração no final da tarde e no crepúsculo. “Esse é o nosso diferencial. A energia eólica do Ceará tem mais valor do que a de outros estados. Nossa geração de pico é no momento de maior demanda, enquanto nos estados vizinhos é mais de madrugada ”, diz Adão Linhares, Secretário Executivo de Energia e Telecomunicações da Secretaria de Infraestrutura do Estado (Seinfra).

Atualmente, o Ceará possui 79 projetos de parques eólicos em operação (2 GW), cinco projetos eólicos em construção (115 MW) e 83 projetos eólicos registrados na Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), num total de ~ 2,2 GW. A energia solar no estado possui quatro projetos em operação (137 MW), 14 em construção (390 MW), 110 projetos de energia solar para um total de 3,7 GW e 1.722 unidades de geração distribuídas para um total de 36,6 MW.

A pesquisa apresentada pelo atlas também revela a possibilidade de construção de usinas eólicas offshore em uma área de 10.000 quilômetros quadrados, onde a profundidade atinge 20 metros. Se considerarmos as regiões de até 50 metros, a área atinge 19.000 quilômetros quadrados. “O Ceará é privilegiado não apenas pelos ventos, mas por sua plataforma continental rasa”, diz o presidente da CS Renováveis, Jurandir Picanço. Os diferenciais na geração de energia eólica offshore em comparação com os parques eólicos offshore incluem a velocidade e a constância do vento em diferentes momentos do dia.

“Tecnicamente, estamos mostrando números ainda conservadores. Podemos combinar energia eólica e geração solar, e ainda temos offshore com uma viabilidade próxima (parques em terra) ”, diz Linhares. “Foi uma surpresa o tamanho da nossa costa e mostra que estamos preparados para gerar energia eólica no mar.

O atlas também apresenta áreas degradadas do estado, que não podem ser usadas para agricultura, mas podem ser usadas para a geração de energia solar fotovoltaica e solar térmica concentrada. Regiões como Inhamuns e Middle Jaguaribe, por exemplo, além dos altos níveis de radiação solar, oferecem terras de baixo custo para a viabilidade de novos projetos.

O novo Atlas eólico e solar do Ceará é um documento de acesso público para profissionais do setor de energia renovável, que fornecerá informações técnicas sobre recursos eólicos e solares no estado do Ceará. O objetivo deste projeto é facilitar a identificação de áreas com bom potencial para a geração de energia a partir de energias renováveis, além de dimensionar o potencial eólico e solar por região do estado, aumentando assim a atratividade do estado do Ceará para investimentos na área.

O potencial solar fotovoltaico do Ceará, estimado em 643 gigawatts (GW), é suficiente para suprir a demanda atual de eletricidade do Brasil em mais do que o dobro, de acordo com o Atlas de Potencial Solar e Eólico do Ceará, que será apresentado na segunda-feira, 16 de dezembro, na Federação das Indústrias do Ceará (Fiec). Segundo o documento, o potencial de geração de energia eólica no estado, por sua vez, é de 94,3 gigawatts.

O Atlas observa que, usando apenas 7% da área territorial do Ceará, o potencial de geração de energia híbrida, com geração de energia eólica e solar, seria de 137 GW, suficiente para suprir aproximadamente metade da eletricidade demandada no país. 

Segundo o documento, a fonte eólica possui um fator de capacidade médio (eficiência de investimento) de 44%, superior ao Brasil, cujo índice é de 42,5%, e a média mundial, de 25%.

Para a geração de energia eólica offshore, a Atlas destaca que o potencial de geração no Ceará é de 117 GW, com um fator de capacidade de 62% e em baixa profundidade. Na Europa, onde há o maior número de parques em alto mar, o fator de capacidade é de 37%.

Voltar ao Topo