Offshore

Chevron torna-se o primeiro maior petrolífero a sair da Noruega

A petrolífera norte-americana Chevron Corp. (NYSE: CVX ) se tornará a primeira grande petroleira a sair formalmente da plataforma continental norueguesa (NCS) ao transferir sua última participação em uma licença de exploração, segundo uma carta do governo.

Grandes companhias de petróleo, incluindo a Exxon Mobil Corp. (NYSE: XOM ), BP Plc (NYSE: BP ) e Royal Dutch Shell Plc (NYSE: RDS.A ), ter reduzido a sua presença na Noruega com a venda ou a fusão de seus ativos no madura região para se concentrar em novas oportunidades de crescimento em outros lugares.

A Chevron também está procurando vender ativos no Mar do Norte Britânico para se concentrar na crescente produção de xisto terrestre dos EUA, bem como no gigantesco Campo de Tengiz, no Cazaquistão.

De acordo com uma carta do ministério norueguês de petróleo e energia da Chevron datada de 28 de setembro e obtida pela Reuters, a Chevron concordou em transferir sua participação de 20% em uma licença de exploração no Ártico, chamada PL859, para a norueguesa DNO ASA.

A decisão significa que “a Chevron Noruega encerra suas atividades na Noruega e deixa o NCS permanentemente”, escreveu o ministério.

Uma porta-voz da Chevron confirmou à Reuters que a empresa chegou ao acordo com a DNO em julho, mas não divulgou seu valor.

“A transação está sujeita a certas condições e aprovações, e deve levar alguns meses para ser concluída”, disse ela.

O jornal de comércio da indústria petrolífera Upstream foi o primeiro a relatar a existência da carta em 10 de outubro.

O ministério disse que concordou com a transferência da participação desde que as garantias da Chevron para cobrir sua parcela de custos de desativação em Draugen, um campo de petróleo atualmente em produção.

A Chevron vendeu sua participação de 7,56% no Draugen Field para o VNG da Áustria em 2014 por uma quantia não revelada.

A Equinor ASA (NYSE: EQNR ) da Noruega, operadora do PL859, fez uma pequena descoberta de gás não comercial em 2017, mas adiou os planos para perfurar um segundo poço permitido pela licença até 2019.

A BP não detém mais participações diretas nos campos noruegueses, mas detém 30% da norueguesa Aker BP, que opera uma série de campos produtores e licenças de exploração.

A Equinor disse em 1º de outubro que concordou em comprar a participação de 40% da Chevron no Campo Rosebank, às ilhas Shetland.

Voltar ao Topo