Energia

Empresa brasileira desevolve novo processo para produção de hidrogênio

Um trio de pesquisadores brasileiros desenvolveu uma nova forma de produzir hidrogênio, a partir da água, sem o consumo de energia elétrica. A tecnologia foi desenvolvida ao longo de 2014 e, no mês de outubro daquele ano, os pesquisadoresNilson Barbosa (foto), Cleriston de Moraes Leale Antônio Augusto Brandão Frazão fundaram a empresa Evoluções Hidrogás, no estado do Maranhão.

A invenção já desperta o interesse em potenciais clientes. Segundo Barbosa, já há uma indústria de peróxido de hidrogênio interessada no processo, que consiste na utilização do processo químico de hidrólise – isto é, a quebra de uma molécula por água. Deste processo, um dos produtos resultantes é o hidrogênio, uma fonte de energia que é vista como excelente alternativa para países que não possuem fontes naturais ou reservas de combustíveis.

Barbosa explica que, atualmente, já existem dois projetos de hidrólise patenteados por americanos: o primeiro combina água, base, alumínio e gálio; e o segundo combina água, boro hidreto, base e um sal de um metal de transição. “Esses dois processos são inviáveis porque não existem reservas abundantes de gálio e boro no planeta“, afirmou o sócio-diretor da Evoluções Hidrogás.

Já o processo desenvolvido pela empresa brasileira, de acordo com Barbosa, é viável pois combina apenas substâncias abundantes, como base, alumínio, ácido e água (que pode ser até do mar). Na avaliação do diretor, um total de 148 países poderiam ser beneficiados com a tecnologia.

A tecnologia desenvolvida pelos brasileiros poderia viabilizar um projeto britânico para produção de etanol a partir de água e ar*. “Hoje já existem vários países procurando desenvolvê-lo. Esse projeto não é protegido por patente, porque a técnica já é conhecida“, explicou. “Este projeto é inviável, porque precisa de muito hidrogênio e os equipamentos de obtenção de hidrogênio são onerosos, além do grande consumo de energia, principais fatores que leva e o custo de produção do etanol. Porém, com o uso do nosso processo, esse projeto se torna viável“, afirmou Barbosa.

Como exemplo, a Evoluções Hidrogás afirma que seria possível produzir 24 milhões de m³ de hidrogênio em 24 horas, utilizando o seu processo. “No entanto, no processo de hidrólise não existem limitações. Com exemplo, pode ser obtido 1 m³ ou 1 milhão de m³ de H2 em alguns minutos ou em longo espaço de tempo, se preferido por tempo indeterminado. Os limites são impostos apenas pela dimensão dos equipamentos da planta“, explicou.

O processo de hidrólise usado pela companhia para produção de hidrogênio também gera alguns subprodutos com diversas aplicações, como produção de coagulantes para tratamento de águas e efluentes, fertilizantes, adubos, revestimentos antichama, fármacos, medicamentos antiácidos, entre outros.

 

* Capturando gás carbônico do ar e hidrogênio da água.

Voltar ao Topo