Energia

Enel Green Power começa a operar 475 MW de capacidade solar

A primeira seção da São Gonçalo, a maior instalação fotovoltaica da América do Sul, iniciou suas operações mais de um ano antes do prazo estabelecido pelas regras do concurso público A-4 de 2017, que premiou o projeto à EGP  

 A Enel investiu 1,4 bilhão de reais, equivalente a cerca de 390 milhões de dólares, na construção da seção de 475 MW

 A Enel está investindo cerca de 422 milhões de reais, equivalente a aprox. US $ 110 milhões na construção da extensão de 133 MW da usina, que trará a capacidade total de São Gonçalo para 608 MW 

Subsidiária renovável brasileira do Grupo Enel energia Enel Green Power Brasil Participações Ltda. (“EGPB”) iniciou as operações da seção de 475 MW da usina fotovoltaica solar de São Gonçalo, localizada em São Gonçalo do Gurguéia, no estado brasileiro de Piauí. A conexão com a rede de São Gonçalo, que é a maior instalação fotovoltaica da América do Sul, ocorreu um ano antes do prazo estabelecido pelas regras do concurso público A-4 de 2017 organizado pelo governo federal brasileiro por meio da agência nacional de energia elétrica Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL). A construção da seção de 475 MW da usina solar envolveu um investimento de cerca de 1,4 bilhão de reais, equivalente a aproximadamente 390 milhões de dólares.  

“Colocar on-line nossa maior instalação solar no Brasil muito antes do prazo final é um marco importante para nossas operações no país, confirmando nossa liderança e experiência no mercado fotovoltaico brasileiro. A conclusão de São Gonçalo também destaca nossa capacidade de entregar projetos solares impressionantes de maneira rápida e eficiente, mantendo os mais altos padrões de segurança em todos os nossos locais de trabalho durante todo o processo de construção ”, disse Antonio Cammisecra , CEO da Enel Green Power. “Continuaremos a desempenhar um papel fundamental no desenvolvimento do setor fotovoltaico do Brasil, que é central para a diversificação e resiliência do mix de geração do país”.

 São Gonçalo é a primeira planta da Enel no Brasil a usar módulos solares bifaciais que capturam energia solar de ambos os lados do painel, com um aumento esperado na geração de energia de até 18%. Depois de totalmente instalado e funcionando, a seção 475 MW da usina será capaz de gerar mais de 1.200 GWh por ano, evitando a emissão de mais de 600.000 toneladas de CO 2 para a atmosfera. Dos 475 MW de capacidade instalada, 265 MW são suportados por contratos de fornecimento de energia de 20 anos com um pool de empresas de distribuição que operam no mercado regulamentado do país. Os 210 MW restantes deverão gerar energia para o mercado livre.

Em agosto passado, a Enel anunciou o início da construção da extensão de 133 MW do parque solar São Gonçalo, para a qual a Enel está investindo cerca de 422 milhões de reais (cerca de 110 milhões de dólares) e é apoiada por contratos de fornecimento de energia negociados com clientes corporativos no mercado brasileiro de energia livre. A expansão, que eleva a capacidade total de São Gonçalo para 608 MW, deve entrar em operação em 2020. Quando estiver totalmente operacional, toda a usina de 608 MW poderá gerar mais de 1.500 GWh por ano, evitando a emissão de mais de 860.000 toneladas. de CO 2 na atmosfera a cada ano. 

No Brasil, o Grupo Enel, por meio de suas subsidiárias EGPB e Enel Brasil, possui uma capacidade total renovável instalada de cerca de 2,9 GW, dos quais 782 MW de energia eólica, 845 MW de energia solar fotovoltaica e 1.269 MW de energia hidrelétrica. Além disso, o EGPB possui cerca de 2,1 GW em execução no Brasil.

A Enel Green Power , dentro do Grupo Enel, dedica-se ao desenvolvimento e operação de fontes renováveis ​​em todo o mundo, com presença na Europa, Américas, Ásia, África e Oceania. A Enel Green Power é líder global no setor de energia verde, com uma capacidade gerenciada de cerca de 46 GW em um mix de gerações que inclui energia eólica, solar, geotérmica e hidrelétrica, e está na vanguarda da integração de tecnologias inovadoras em usinas de energia renovável.

Voltar ao Topo