Petróleo

Equinor afirma contratos com o pré-sal brasileiro

Os contratados foram selecionados para os contratos SURF (Subsea, Umbilical, Risers e Flowlines) e FPSO (Floating Production, Storage and Offloading), informou a Equinor na quinta-feira.

A Subsea Integration Alliance, formada pela Subsea7 e OneSubsea, foi selecionada para o contrato SURF e MODEC para o contrato FPSO.

“A concessão desses contratos é um marco importante no desenvolvimento da área de Bacalhau”, disse Anders Opedal , vice-presidente executivo de tecnologia, projetos e perfuração da Equinor.

“Concedemos esses contratos a empresas conceituadas com longa experiência no Brasil e agora esperamos uma colaboração adicional com a SIA e o MODEC para garantir uma execução oportuna do projeto”.

Os contratos SURF e FPSO são baseados em um prêmio em duas etapas. O FEED e o pré-investimento estão começando agora, com uma opção para a fase de execução sob uma configuração de contrato chave na mão que inclui engenharia, suprimento, construção e instalação para todos os escopos SURF e FPSO.

As opções para ambos os contratos estão sujeitas a uma decisão de investimento planejada para o final de 2020.

O contratado do FPSO operará o FPSO pelo primeiro ano. Posteriormente, a Equinor planeja operar as instalações até o final do período de licença em 2053.

“Este será o maior FPSO do Brasil, com uma capacidade de produção de 220.000 barris por dia”, disse Opedal.

Existe um alto grau de padronização e industrialização para os contratos SURF e FPSO, aproveitando a experiência dos contratados. O contrato SURF contribui significativamente para o conteúdo local no Brasil, com aproximadamente 60%.

“Bacalhau é um ativo de classe mundial no pré-sal brasileiro em Santos. O Brasil é uma área central de crescimento para a Equinor e a empresa tem a ambição de produzir de 300 a 500 mil barris por dia no Brasil até 2030. Bacalhau será um importante colaborador para atingir esse objetivo ”, disse Margareth Øvrum , vice-presidente executiva de Desenvolvimento da Equinor. e Produção Brasil.

Parceiros em Bacalhau: Equinor 40% (operadora), ExxonMobil 40%, Petrogal Brasil 20% e Pré-sal Petróleo SA (PPSA, agência governamental não investidora).

Voltar ao Topo