Offshore

Equinor divulgar os dados de armazenamento de Sleipner CO2

A gigante de petróleo e gás norueguesa Equinor e seus parceiros divulgarão um conjunto de dados do campo de Sleipner na costa da Noruega; a primeira planta CCS offshore do mundo, em um esforço para avançar a inovação e o desenvolvimento no campo de armazenamento de CO2.

Desde 1996, o campo Sleipner tem sido usado como uma instalação para captura e armazenamento de carbono pela Equinor como operadora e um grupo de empresas parceiras. Este é o mais longo projeto em andamento sobre armazenamento de CO2 no mundo, de acordo com a Equinor.

A cada ano, cerca de 1 milhão de toneladas de CO2 do gás natural são capturadas e armazenadas na Sleipner. Isso forneceu uma visão única sobre o que acontece com o carbono armazenado no subsolo durante longos períodos de tempo, disse a Equinor na quarta-feira.

“Por mais de 20 anos, tivemos uma experiência em primeira mão de armazenamento seguro de CO2 em um reservatório. Acreditamos que essa percepção pode ser valiosa para nossa indústria, comunidades de pesquisa e outras pessoas que trabalham para tornar o armazenamento de CO2 uma parte central da transição energética em curso para o futuro de baixo carbono ”, diz Torbjørn F. Folgerø , diretor digital e vice-presidente sênior no Equinor.

Todos os dados serão publicados através do Consórcio de Partilha de Dados de CO2 liderado pelo SINTEF em Setembro deste ano – uma parceria apoiada pelo programa de pesquisa norueguês CLIMIT e pelo Departamento de Energia dos EUA.

O CO2 Storage Data Consortium é uma rede internacional aberta para troca de dados e conhecimento, iniciada pela Equinor, SINTEF, Universidade de Illinois e IEAGHG em 2016. Com o apoio financeiro da Gassnova e do Departamento de Energia dos EUA, o projeto CO2 DataShare foi lançado em 2018.

A Equinor enfatizou que compartilhou dados de armazenamento e monitoramento de CO2 com a comunidade de pesquisa nos últimos 15 anos. Ao tornar os dados disponíveis abertamente, a parceria Sleipner e o SINTEF buscam avançar ainda mais a inovação e o desenvolvimento no campo do armazenamento de carbono.

“Desde que a Equinor compartilhou os primeiros conjuntos de dados da Sleipner, pesquisadores de todo o mundo a utilizaram para entender processos de fluxo, permitir previsões mais precisas e desenvolver métodos para armazenamento seguro de CO2. O acesso aos conjuntos de dados Sleipner pode acelerar o desenvolvimento de conhecimento e tecnologias essenciais para operar locais de armazenamento de CO2 e permitir uma implantação mais rápida do CCS, uma medida Os estados do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC) são críticos para limitar o aquecimento global ”, diz Eli Aamot vice-presidente executivo do SINTEF.

Um protótipo para o compartilhamento de dados estará disponível on-line para usuários de teste selecionados em junho de 2019. A plataforma digital para compartilhamento de dados de armazenamento de CO2 está prevista para on-line em setembro de 2019.

O período do projeto é 2018-2020 e o orçamento é de 7.150.000 NOK (US $ 848.000). O CO2 DataShare é coordenado com o Centro Norueguês de Pesquisa CCS (NCCS).

Voltar ao Topo