Siderúrgica

Escassez de minério de ferro após desastre da Vale prejudicará siderúrgicas

A decisão da estatal brasileira Vale SA de interromper a produção em dez locais em Minas Gerais após um desastre fatal afetou as entregas de pelotas de minério de ferro aos clientes, informou o jornal Valor Econômico nesta segunda-feira, citando fontes do setor.

A Vale está tentando resolver o problema trazendo pelotas de minério de ferro produzidas no nordeste do estado do Maranhão para clientes no sudeste. As distâncias mais longas envolvidas estão aumentando os custos de transporte, disse o Valor.

A Vale não respondeu imediatamente a um pedido de comentário sobre o relatório Valor.

O Grupo Ferroeste, de propriedade privada, disse ao jornal que sua unidade de ferro-gusa no estado do Espírito Santo desativou um alto-forno, afetando cerca de 40% da capacidade de produção da planta. 

Marco Polo Lopes, presidente do grupo de lobby Aço Brasil, disse ao jornal que a situação poderia forçar outras siderúrgicas a suspender a produção se nada for feito para normalizar os suprimentos.

A Aço Brasil instou ações imediatas para reavaliar a segurança das barragens de rejeito em Minas Gerais para evitar mais interrupções na cadeia de fornecimento de produção de aço.

A barragem de rejeitos da mina de minério de ferro do Vale do Córrego, em Minas Gerais, explodiu em 25 de janeiro, matando 228 pessoas. Outras 49 pessoas ainda estão desaparecidas.

Voltar ao Topo