Celulose

Exportações brasileiras de café para os árabes continuam fortes

No acumulado do ano até julho, o Brasil embarcou mais de 990.000 sacas para a região, um aumento de 48% em relação ao ano anterior. As exportações totais foram as maiores em cinco anos.

No acumulado do ano até julho, as vendas brasileiras de café para os países árabes continuaram fortes. As exportações superaram 990 mil sacas de 60 quilos, alta de 48% no comparativo anual, informou o Conselho dos Exportadores de Café do Brasil ( Cecafé ) nesta sexta-feira (19). A receita das vendas para o bloco também aumentou, para US $ 116 milhões, um aumento de 15% em relação ao ano passado.

O aumento já havia sido visto quando as vendas brasileiras para a ária terminaram o primeiro semestre de 2019, com um aumento de 54% no comparativo anual.

No acumulado do ano até julho, as exportações totais de café do Brasil atingiram um nível recorde nos últimos cinco anos no período, atingindo 23,5 milhões de sacas, um aumento de 37,6% em relação ao ano anterior. As receitas atingiram US $ 2,9 bilhões, um aumento de 11% ano a ano.

Exportações em julho

Em julho, as exportações totais de café atingiram 3,2 milhões de sacas, um aumento de 28,2% em relação ao ano anterior. É o maior volume para um mês de julho em cinco anos.

As exportações arrecadaram US $ 378,2 milhões, um aumento de 51% em relação ao ano anterior. O preço médio do saco foi de US $ 119,7 por saca, uma queda de 18% em relação ao ano anterior.

“O volume expedido em julho mostra que o Brasil continua forte e trabalha na exportação de café sustentável e de alta qualidade. Um dos destaques foi o aumento das exportações para os Estados Unidos e Alemanha, hoje os maiores importadores de café brasileiro. A safra 2019/2020 está quase pronta e parece que manterá esses bons resultados até o final do ano ”, disse o presidente do Cecafé, Nelson Carvalhaes, em um comunicado à imprensa.

Segundo o conselho, quase todos os principais países consumidores do café brasileiro registraram um aumento nas importações do produto no ano civil. Destes, o maior aumento foi da Espanha, que comprou 51,5% a mais de café brasileiro em 2019.

Voltar ao Topo