Petróleo

Exxon coloca à venda US $ 15 bilhões em ativos globais

A Exxon Mobil Corp. está novamente tentando vender suas operações de petróleo e gás no sudeste da Austrália como parte de uma mudança para eliminar ativos e aumentar o retorno dos acionistas.

A grande maioria dos EUA “estará testando o interesse do mercado” por ativos globais, incluindo o que opera na Austrália, informou a empresa em comunicado por e-mail. Nenhum comprador foi identificado e nenhum acordo foi alcançado, acrescentou.

“A Exxon Mobil analisa continuamente seus ativos em busca de sua contribuição para atender às necessidades operacionais da empresa, objetivos financeiros e seu valor potencial para terceiros”, afirmou o comunicado.

É o segundo esforço em cerca de três anos para vender operações australianas, que incluem o projeto de longa duração da Gippsland Basin, no exterior do estado de Victoria. A Exxon e seu parceiro de joint venture BHP Group abandonaram um processo de venda de 20 meses para os ativos em fevereiro de 2018.

A maior empresa de petróleo do mundo, em valor de mercado, segue um plano de desinvestimento de US $ 15 bilhões, descarregando ativos mais antigos para financiar projetos de maior crescimento da Papua Nova Guiné, Texas e Brasil.

Ele confirmou no início deste mês que está em negociações exclusivas para vender operações norueguesas de petróleo e gás, um acordo que vale até US $ 4,5 bilhões. A empresa também está negociando com a espanhola Repsol SA a venda de ativos em águas profundas no Golfo do México, onde afirmou no ano passado que estava “testando o interesse do mercado”.

Grande problema

Os potenciais compradores “terão que se acostumar com a idade dos ativos, produção em declínio e passivos significativos de desativação”, disse Angus Rodger, diretor de pesquisa da Wood Mackenzie Ltd. “O fato de um esforço anterior para descarregar os ativos de petróleo de Gippsland falhou devido a incerteza sobre os custos de abandono destaca o tamanho do problema. ”

O jornal australiano informou em junho que a participação de 50% da Exxon nos ativos, que inclui a planta de gás de Longford, pode valer cerca de US $ 3 bilhões.

A BHP disse em um e-mail que reconhece a importância da Bacia de Gippsland para o fornecimento confiável de gás no mercado doméstico da costa leste e continua comprometida em manter isso. A venda não inclui a refinaria de Altona, também no estado de Victoria, que a Exxon opera há 70 anos.

“Quando a Exxon adiciona seu portfólio total, a Bacia de Gippsland não se encaixa no projeto”, disse David Lennox, analista de recursos da Fat Prophets em Sydney, acrescentando que a mudança está alinhada com os planos da empresa de extrair valor de alguns de seus ativos não essenciais.

Voltar ao Topo