Mercado

FGV registra crescimento de lucros em negócios em maio e junho

Foto; Berg Silva/ O Globo

O Índice de Confiança do Negócio (ICE) medido pela Fundação Getulio Vargas (FGV) subiu 0,6 ponto de maio a junho, alcançando 92,6 pontos em uma escala de 0 a 200. Conforme informações divulgadas nesta segunda-feira (1) pela FGV, este é o primeiro aumento do indicador, que compreende níveis de confiança na indústria, serviços, comércio e construção, desde janeiro passado.

A confiança dos empresários no futuro, medida pelo Índice de Expectativas, subiu 1,1 ponto para 99,3 pontos. A percepção sobre a situação atual dos negócios, medida pelo Índice da Situação Atual, subiu 0,3 ponto em junho, para 89,9 pontos. Entre os setores pesquisados, apenas a indústria caiu: -1,5 ponto. Os outros setores registraram um aumento na confiança: serviços (2,2 pontos), comércio (1,2 ponto) e construção (2,1 pontos).

Líder na criação e no aperfeiçoamento de ideias que contribuem para o desenvolvimento nacional, a FGV investe e estimula a pesquisa acadêmica, o que tem resultado em uma produção de relevância, reconhecida nacional e internacionalmente. Os temas abrangem a macro e microeconomia, finanças, direito, saúde, previdência social, pobreza e desemprego, poluição e desenvolvimento sustentável. Também são mantidos programas de pesquisa em história, ciências sociais, educação, justiça, cidadania e política

A Fundação realiza, ainda, trabalhos sob encomenda para o setor público, iniciativa privada e organismos internacionais, como o Banco Mundial. Além disso, através do Instituto Brasileiro de Economia (IBRE), gera e divulga, como bens públicos, indicadores e relatórios que contribuem para o direcionamento da economia brasileira.

A FGV visa ser reconhecida como instituição inovadora, comprometida com o desenvolvimento nacional, pela formação de uma elite acadêmica, pela geração de bens públicos nas áreas sociais e afins, garantindo a sua sustentabilidade econômica com a prestação de serviços de qualidade e elevado padrão ético, além de estimular o desenvolvimento socioeconômico nacional.

 

Voltar ao Topo