Óleo e Gás

Gás de cozinha sofre reajuste e mexe no bolso do consumidor

Gás de cozinha sofre reajuste e mexe no bolso do consumidor

Durante o mês de maio a maior petrolífera brasileira, Petrobras, fez um reajuste exorbitante sob o gás de cozinha, fazendo com que o botijão atingisse o valor de R$ 80,00. O último reajuste realizado pela Petrobrás foi em fevereiro, atualmente o botijão de gás de 13 kg está chegando ao valor de R$ 73 a R$ 75.

De acordo com a economista Maria Francisca Adad, durante os últimos anos o aumento do gás chegou a 20%, uma porcentagem que extrapola a média da inflação. “O aumento é entre a Petrobras e o revendedor, não é esse aumento que chega para a dona de casa nem para os fornecedores de alimentos”, explica a economista.

O preço de venda às distribuidoras não é o único determinante do preço final ao consumidor. Como a lei brasileira garante liberdade de preços no mercado de combustíveis e derivados, as revisões feitas pela Petrobras podem ou não se refletir no preço final, que incorpora impostos e repasses dos demais agentes do setor de comercialização, como distribuidores e revendedores.

O reajuste é claramente um reflexo do alto custo de vida brasileiro, onde a aquisição de um combustível com funcionalidade essencial para o acesso à alimentação, parte dos direitos básicos do povo, não segue os padrões econômicos da renda base dos cidadãos brasileiros.

A nova politica de preços implantada pela estatal não considera a atual realidade da economia nacional, mas tem como base a cotação do gás do mercado internacional. Desta forma, o preço do gás tende a subir ainda mais.

Voltar ao Topo