Notícias

Geração de eletricidade é responsável por 42% das emissões globais

Geração de eletricidade é responsável por 42% das emissões globais

A geração de eletricidade é o maior contribuinte das emissões de carbono que estão aquecendo o planeta. É responsável por 42% das emissões globais e é provável que essa participação cresça à medida que o transporte é cada vez mais alimentado por baterias e não por petróleo.

À medida que os países anunciam planos ambiciosos para afastar suas economias de combustíveis fósseis, seus esforços para mudar a maneira como geram eletricidade determinarão se eles podem atingir esses objetivos. A Agência Internacional de Energia Renovável (IRENA), que ajuda os governos a elaborar planos de mudança para energias renováveis, estimou que 86% da eletricidade pode ser gerada com energias renováveis ​​até 2050.

Esse número pode parecer alto, mas mais dados estão agora apoiando o potencial de uma mudança agressiva na geração de energia. Em um novo relatório, o analista de Bernstein, Meike Becker, examinou como os países podem atingir 100% de geração de eletricidade renovável até 2050, e a análise tem boas notícias sobre o potencial de geração de energia renovável.

O relatório de Becker descobriu que os países seguirão caminhos muito diferentes para a geração renovável, com base em seus recursos naturais. Se os depósitos de carvão e petróleo determinaram o destino de um país no século XX, a força de seus rios e a força de seu sol provavelmente determinarão seu caminho no século XXI. Os países que geram energia hidrelétrica estão muito à frente em termos de produção de energia limpa. A Noruega gera 98% de sua eletricidade a partir de fontes renováveis, principalmente por causa da energia hidrelétrica. A partir de 2015, o Brasil recebia 75% de sua energia proveniente de fontes hídricas. O Canadá depende de fontes de energia renováveis ​​para 67% de sua eletricidade.

Mas mesmo em países sem água corrente gerando muita eletricidade, Becker vê um caminho viável para a geração renovável. Na Bélgica, por exemplo, a hidrelétrica representa apenas 7% da geração. Além disso, a Bélgica depende da energia nuclear para cerca de 30% de sua eletricidade, e o país planeja eliminar a energia nuclear até 2025. No entanto, Becker espera que a Bélgica possa gerar pelo menos 75% de sua eletricidade com fontes renováveis ​​até 2050, utilizando energia solar, vento e uma variedade de outras tecnologias, incluindo as denominadas “turbinas a gás de ciclo combinado” que usam gás e vapor como fonte de energia. A chave para fazer isso é ser capaz de gerar e armazenar energia em momentos em que o sol não está brilhando e o vento não está soprando, usando baterias e tecnologias que podem usar outros combustíveis com mais eficiência.

As chances de que os países possam gerar toda a sua eletricidade com fontes de energia renováveis ​​até 2050 são “neste momento muito próximas de 100% para países com bons recursos e um pouco mais longe se as condições forem menos favoráveis”, ela escreveu em um email para Barron . No entanto, países sem os mesmos recursos ainda podem gerar “uma participação muito alta, e geralmente maior do que o que a maioria das pessoas pensa atualmente, eu diria”.

Voltar ao Topo