Óleo e Gás

Global Energy Ventures comercializa GNV no exterior do Brasil

A Global Energy Ventures (GEV) iniciou um estudo sobre o potencial do uso de GNV para comercializar recursos de gás para um campo de petróleo e gás no exterior do Brasil.

O GNV (gás natural comprimido) é composto principalmente de metano e é condensado em apenas um por cento do seu volume usual, passando por um compressor.

Permanece na forma de um gás e é armazenado sob alta pressão em cilindros de gás.

Difere do GNL (gás natural liquefeito), que é predominantemente metano com um pouco de etano e foi resfriado até a forma líquida para facilitar e segurança o armazenamento ou transporte não pressurizado.

O início do estudo de comercialização do GNV segue a conclusão bem-sucedida de uma análise técnica e econômica de alto nível usando o navio CNG Optimum para transportar gás do campo de pré-sal em desenvolvimento para os mercados onshore.

A área especificada está situada na Bacia de Santos, no Brasil, a aproximadamente 200 quilômetros do Rio de Janeiro e a 350 quilômetros de São Paulo.

“O Brasil representa uma oportunidade maravilhosa para os navios Optimum CNG da GEV”, disse o diretor executivo e o diretor de desenvolvimento Garry Triglavcanin.

“Enquanto o país está reinjetando 1 Bcf de gás por dia, equivalente a cinco navios CNG Optimum, a quantidade de gás a ser reinjetado deve aumentar mais de três vezes à medida que novos projetos de campos de petróleo são desenvolvidos no pré-sal brasileiro”. ele adicionou.

A primeira produção de petróleo e gás é esperada no final de 2023 por meio de um navio flutuante de armazenamento e descarga de produção, projetado para até 8,5 milhões de metros cúbicos de gás natural por dia.

Está prevista uma decisão de investimento financeiro e a adjudicação de contratos para a parte posterior de 2020.

O objetivo deste estudo é provar que a oportunidade do GNV confirma a viabilidade técnica adequada e o valor comercial de cada parte.

O GEV definiu o escopo do trabalho e terá como objetivo a conclusão até o final de março de 2020. O trabalho realizado será entregue ao operador de campo de petróleo brasileiro selecionado.

A Global Energy encerrou o dia em queda de 6,45%, com as ações sendo negociadas a 14,5 centavos cada, em um valor de mercado de US $ 59,50 milhões.

Voltar ao Topo