Biocombustíveis

GNL será o combustível mais utilizado na indústria do transporte marítimo em 2050

De acordo com um recente estudo elaborado pela sociedade classificadora nórdica DNV GL, o Gás Natural Liquefeito (GNL) se tornará o combustível mais usado na indústria do transporte marítimo em 2050.

Neste estudo, adiantou a sociedade classificadora, foram analisados os ??diferentes tipos de combustível em voga (tanto os que podem substituir os combustíveis fósseis quanto os contemplados apenas para o período de transição energética). Em concomitância, o estudo da DNV GL teve em conta a configuração da frota global, que, desde Maio, se encontra imersa num processo de transformação para se adaptar aos novos limites de enxofre, que entrarão em vigor já no primeiro dia do próximo ano.

Os navios movidos a GNL ou preparados para um potencial processo de adaptação (ou retrofitting) posicionaram-se no topo do ranking elaborado pelo estudo, seguidos pelos navios alimentados a baterias, que incluem navios eléctricos e híbridos, geralmente balsas. À medida que o desenvolvimento da propulsão eléctrica progride, explica o estudo, é provável que muitos operadores marítimos optem pela tecnologia de baterias, já que encontram a ser trabalhados sistemas mais flexíveis que poderão ser integrados a outros combustíveis e infra-estruturas futuras.

Infere o documento que essa flexibilidade é fundamental, uma vez que os combustíveis que estão atualmente pensados e preparados para alimentar a indústria do transporte marítimo poderão ser os combustíveis reinantes no futuro. Ora, explana a DNV GL, os proprietários dos navios e armadores terão maior probabilidade de sucesso no combate às emissões poluentes caso caso não se agarrem apenas a uma opção alternativa.

O GNL é, cada vez mais, a opção mais procurada no momento: recorde-se que um recente estudo sul-coreano (levado a cabo pelo Korea Development Bank) revelou que seis em cada vez novos navios encomendados pelas transportadoras marítimas serão alimentados a GNL em 2025. Segundo o relatório, cerca de 60,3% (em 2025) das novas encomendas em todo o mundo serão navios movidos a GNL.

Voltar ao Topo