Energia

Iberdrola da Espanha investirá US $ 833,1 milhões em vento brasileiro

A espanhola Iberdrola planeja investir US $ 833,1 milhões em novos projetos de distribuição e energia eólica no Estado do Rio Grande do Norte nos próximos cinco anos.

O governador do Rio Grande do Norte, Robinson Faria, disse que uma das principais razões pelas quais o estado atraiu empresas de energia renovável foi seu forte apoio dado aos investidores durante o processo de licenciamento ambiental.

O novo investimento deve dobrar a atual capacidade operacional da Iberdrola no estado, disse seu CEO, Ignacio Galan.

A empresa sediada em Bilbao já possui um total de 11 parques eólicos no estado, localizado no extremo nordeste do Brasil, na fronteira com o Oceano Atlântico.

O Rio Grande do Norte é atualmente o maior produtor de energia eólica do Brasil.

O maior país da América do Sul se comprometeu a gerar 20% de sua eletricidade a partir de fontes renováveis ​​até 2030, em um esforço para reduzir as emissões de gases de efeito estufa.

Para conseguir isso, o Brasil terá que dobrar sua capacidade renovável não hidrelétrica, incluindo eólica e solar.

Atualmente, cerca de 67% da capacidade total instalada no Brasil é proveniente de hidrelétricas, 9% de biomassa, 8% de energia eólica e o restante de combustíveis fósseis e energia nuclear. A maior parte da hidrelétrica é de grandes HPPs, que não contam como projetos renováveis.

No geral, o país também pretende obter 45% de seu mix energético total a partir de fontes renováveis ​​até 2030, de acordo com seu plano climático, conhecido como Contribuição Nacionalmente Determinada Prevista.

No mês passado, o governo concedeu pouco mais de 1.024 MW de novos contratos de energia renovável no mais recente leilão de energia limpa do país, o A-4.

No total, 39 projetos foram contratados, dos quais quatro foram para parques eólicos e a maioria dos demais foram para energia solar.

Contratos de energia eólica foram negociados a R $ 67,60 (US $ 18,43) por MWh, representando um desconto de 73,49% sobre o preço inicial.

O leilão registrou os menores preços já negociados no país latino-americano para usinas eólicas e solares, de acordo com a operadora Electric Energy Trading Chamber.

Outro leilão de renováveis, conhecido como A-6, será realizado entre maio e agosto deste ano, disse o governo recentemente.

Voltar ao Topo