Energia

Iberdrola investirá 480 milhões em 12 campos eólicos no Brasil

O grupo, por meio de sua subsidiária Neoenergia, investirá 6.500 milhões nos próximos cinco anos.A Iberdrola, por meio de sua subsidiária brasileira Neoenergia , construirá seu maior complexo eólico offshore na América Latina, chamado Oitis, e consistirá em um total de 12 parques que adicionarão uma capacidade instalada combinada de 566,6 megawatts (MW). O valor do investimento global em energia neste mega projeto eólico será de cerca de 480 milhões de euros, de acordo com a empresa em comunicado.

Esse novo projeto, que será o segundo maior complexo eólico da Iberdrola no mundo, ficará localizado entre os estados do Piau e da Bahia, no nordeste do Brasil, e seu início completo está previsto para meados de 2022. Os parques – Oitis 1 e Oitis 8 – já garantiram a venda de 30% da energia limpa que irão gerar, após o leilão organizado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) em junho passado. As outras 10 instalações negociarão a venda de sua produção de eletricidade no mercado.

Atualmente, a Neoenergia possui 516 MW de energia eólica em operação e, com o complexo eólico de Oitis, possui 1.038 MW de energia eólica em construção. Uma vez concluídos todos os projetos, em 2022, serão adicionados 1.600 MW de energia eólica em operação, triplicando o valor atual. O grupo já está garantido com a venda de 51% da energia por meio de contratos regulados, enquanto os outros 49% serão colocados no mercado livre.

A construção desse megaprojeto envolverá a entrada da Neoenergia em um novo estado, o do Piauí, e contribuirá para o desenvolvimento econômico e social do estado do nordeste do Brasil e do estado vizinho da Bahia.

Além disso, com esses 566,5 MW, a Oitis se tornará o segundo maior projeto do grupo em energia eólica offshore por capacidade instalada, atrás apenas do americano de Peñascal, localizado no Texas (606 MW), e logo à frente do parque eólico escocês. de Whitelee, localizado ao sul de Glasgow (539 MW). Com este novo projeto, a empresa reforça sua liderança mundial no setor de energia renovável, com capacidade no final do primeiro semestre deste ano de cerca de 30.400 MW.

Aposte no Brasil

Da mesma forma, o grupo presidido por Ignacio Sánchez Galán reafirma seu compromisso com o Brasil, onde, através da Neoenergia, planeja investir entre 25.000 e 30.000 milhões de reais – cerca de 6.500 milhões de euros – nos próximos cinco anos. Esse valor será utilizado principalmente para expandir e melhorar as redes de distribuição dos estados da Bahia, Pernambuco, Rio Grande do Norte, São Paulo e Mato Grosso do Sul, desenvolver novas linhas de transporte e construir mais parques eólicos

De qualquer forma, aos investimentos já realizados por essa subsidiária do grupo Iberdrola, listada na Bolsa de Valores de São Paulo desde abril passado, novos projetos derivam dos leilões de linhas e capacidade de geração que o Ministério de Minas poderia acrescentar e Energia planeja se reunir nos próximos anos.

Por meio da Neoenergia, a Iberdrola é uma das duas maiores empresas de eletricidade do Brasil em número de clientes, com 13,9 milhões de pontos de fornecimento e 34 milhões de clientes. Presente até agora em 18 estados, dedica-se à geração, transporte, distribuição e comercialização de eletricidade em uma área de 840.000 quilômetros quadrados.

Atualmente, a empresa possui capacidade de produção no país de mais de 3.700 MW, dos quais quase 86% já são renováveis. Se os projetos em construção forem adicionados, essa energia já excederá 5.000 MW. Entre as instalações de geração de energia limpa no Brasil, destaca-se a usina hidrelétrica de Baixo Iguaçu, inaugurada em maio passado por Galán, que tem 350 MW e envolveu um investimento de mais de 500 milhões de euros. O grupo também possui quase 700.000 quilômetros de linhas de energia, operados pelas quatro empresas integradas na Neoenergia: Cosern, Celpe, Coelba e Elektro.

Voltar ao Topo