Mineração

Indústria cresce em Minas, Pará e Rio com ajuda do setor extrativo

O setor extrativo (minério de ferro e petróleo) foi o principal responsável pelo avanço da produção industrial nos Estados do Pará, Minas Gerais e Rio de Janeiro em agosto de 2019, na comparação a julho, na série com ajuste sazonal, segundo dados divulgados nesta terça-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

De acordo com dados da Pesquisa Industrial Mensal-Regional (PIM-Regional), a produção no Estado do Pará cresceu 6,8% em agosto, frente a julho, liderada pelo aumento da produção de minério de ferro. Foi o quarto mês de alta da produção dos fabricantes paraenses, período em que acumulou expressivo avanço de 83,2%.

Segundo Bernardo Almeida, analista da Coordenação da Indústria do IBGE, o rompimento da barragem de rejeitos de minério de ferro da mina Córrego do Feijão, em Brumadinho (MG), ocorrida no fim de janeiro, afetou o desempenho da produção no Pará, por conta da decisão de paralisar a operação de outras minas pelo país.

“A produção no Pará também acabou afetada em abril por fortes chuvas, que provocaram paralisação local”, disse Almeida, acrescentando que, desde maio, o setor vem retomado a produção no Estado, assim como vem ocorrendo também em Minas Gerais. “Como a indústria de Minas Gerais é mais diversificada, a alta da produção local mostra intensidade menor.”

Dados do IBGE mostram que a indústria de Minas Gerais cresceu 1% em agosto, frente a julho. Foi o segundo mês consecutivo de aumento de produção no Estado. A indústria local, contudo, ainda acumula queda de 5% nos oito primeiros meses do ano e de 3,8% no período de 12 meses encerrados em agosto.

Também ajudada pelo setor extrativista, mas neste caso pela produção de petróleo, a produção industrial do Estado do Rio cresceu 1,3% em agosto, ante julho. O mês foi marcado por um recorde de produção da Petrobras. Com o resultado, a indústria fluminense acumula alta de 8,4% em julho e agosto. No ano, porém, recua 1,3%.

Voltar ao Topo