Petróleo

Investidores comemoram queda nos custos de produção da Petrobras

Os investidores comemoraram um corte significativo nos custos de produção da empresa estatal de petróleo Petrobras na sexta-feira, enviando ações da empresa com um aumento de 4% no comércio da manhã, seu maior ganho intradiário em mais de um mês.

Nos resultados do terceiro trimestre divulgados na noite de quinta-feira, a empresa afirmou que os custos de produção em uma importante área de petróleo offshore conhecida como “pré-sal” caíram 20% em relação ao trimestre anterior, para cerca de US $ 5,03 por barril.

Em uma teleconferência com analistas, o diretor de Exploração e Produção Carlos Alberto de Oliveira disse que os custos podem ser um pouco mais altos no próximo trimestre, graças ao aumento da plataforma P-70 e outros fatores pontuais, provavelmente trazendo os custos de volta para US $ 6 por barril.

Ainda assim, os analistas foram incentivados pela economia de custos e pelos resultados financeiros gerais, que estavam praticamente alinhados às expectativas.

Os analistas do Banco BTG Pactual SA classificaram os números de custo de produção de “impressionantes”, acrescentando que o lucro da empresa antes de juros, impostos, depreciação e amortização superou suas estimativas em 13%.

Na ligação com a gerência, um analista do JPMorgan Chase chamou os menores custos de produção de “a grande surpresa” do trimestre.

 

GÁS NATURAL

Na mesma ligação, os executivos da Petrobras apresentaram algumas idéias possíveis para lidar com quantidades significativas de gás natural em muitos dos campos de petróleo da empresa.

O gás natural offshore é considerado um problema e uma oportunidade no Brasil, pois o consumo interno é baixo e há pouca infraestrutura de exportação. Até agora, a maioria das empresas recorreu quase inteiramente à reinjeção, lançando gás de volta ao fundo do mar para produzir mais petróleo.

A diretora de jusante Anelise Lara disse que a Petrobras estuda aumentar o tamanho das usinas onshore e, eventualmente, participar de leilões domésticos. Ela disse que o Brasil precisaria de infraestrutura adicional para transportar gás natural em terra de campos marítimos, principalmente na Bacia de Santos, na costa de São Paulo.

Voltar ao Topo