Notícias

Juiz de apelação suspende prisão temporária do ex-bilionário Eike Batista

Um juiz de justiça ordenou no sábado a libertação de Eike Batista, o magnata do petróleo e da mineração que já foi o homem mais rico do Brasil, revogando uma ordem provisória que expiraria na segunda-feira.

Na quinta-feira, a polícia prendeu temporariamente o ex-bilionário excêntrico do Rio de Janeiro por suspeita de lavagem de dinheiro e insider trading.

Promotores federais disseram que identificaram cerca de 800 milhões de reais (US $ 203 milhões) em transações ilícitas.

De acordo com documentos judiciais, a ordem de detenção temporária tinha como objetivo evitar que Batista contatasse outros suspeitos no caso para estabelecer uma estratégia de defesa para os testemunhos.

Mas a juíza de apelação federal Simone Schreiber decidiu que a ordem de prisão não pode ser usada como uma ferramenta para restringir o réu ou interferir em seu depoimento policial.

Batista está em prisão domiciliar desde o início de 2017 sob acusações separadas. No início de 2018, ele foi condenado e sentenciado a 30 anos de prisão por ter pago US $ 16,5 milhões de suborno ao ex-governador do Rio de Janeiro, Sergio Cabral, em troca de contratos de construção do Estado.

Batista, que está apelando de sua condenação, não pôde ser imediatamente contatado para comentar o assunto.

(Reportagem de Rodrigo Viga Gaier no Rio de Janeiro e Gabriela Mello em São Paulo; edição de Jonathan Oatis)

Arquivo Foto direito autoral UESLEI MARCELINO (Reuters)
Voltar ao Topo