Offshore

McDermott assegura o trabalho da EPCI para o projeto Sépia

A McDermott International garantiu um novo contrato de engenharia, aquisição, construção e instalação (EPCI) da Petrobras para a primeira fase de desenvolvimento no campo Sépia offshore no Brasil.

A empresa classificou o contrato como “significativo”, o que significa que o valor do contrato pode ficar entre US $ 250 milhões e US $ 500 milhões.

O escopo do contrato inclui engenharia detalhada, levantamentos, entrega, instalação e pré-comissionamento de dutos rígidos, jumpers, módulos de flutuação, strakes e sistemas de monitoramento de riser para poços de sete subidas. Esses poços, que compreendem três variantes produtoras e quatro injetoras, serão conectados à embarcação carioca flutuante de produção, armazenamento e descarga (FPSO).

McDermott executará o trabalho do projeto em seu escritório no Rio de Janeiro, com o trabalho de engenharia previsto para começar imediatamente. O escritório da empresa em Houston fornecerá o suporte necessário. A empresa planeja implantar cinco navios para realizar o trabalho de instalação em profundidades de águas ultraprofundas de até 2.140m.

McDermott, vice-presidente sênior da América do Norte, Central e do Sul, Mark Coscio, disse: “A McDermott tem uma forte presença no Brasil há mais de quatro décadas, e vemos uma tremenda oportunidade de crescimento na região.

“Usaremos nossos ativos de primeira classe e histórico comprovado para oferecer os mais altos níveis de segurança, qualidade e custo-eficiência durante a primeira fase deste importante desenvolvimento greenfield.”

O campo Sépia está situado a cerca de 280 km do litoral do Rio de Janeiro, no pré-sal da Bacia de Santos, no Bloco BM-S-24. A primeira fase do projeto faz parte de um plano de desenvolvimento de 15 poços. O projeto deverá entregar o primeiro óleo em 2021.

Voltar ao Topo